Policiais do Laos usam Covid como pretexto para prender cristãos e forçá-los a negar a fé

Mesmo diminuindo o número de cristãos nos cultos, usando máscaras e mantendo a distância mínima exigida por lei, os cristãos foram levados pelas autoridades.

Fonte: Guiame, com informações de Portas AbertasAtualizado: quinta-feira, 26 de agosto de 2021 18:04
O Laos ocupa o 30º lugar na Lista Mundial da Perseguição. (Foto ilustrativa: Portas Abertas)
O Laos ocupa o 30º lugar na Lista Mundial da Perseguição. (Foto ilustrativa: Portas Abertas)

No dia 15 de agosto, oito cristãos e um bebê de seis meses foram detidos e enviados para uma prisão, no sul do Laos, após atividades em uma igreja local. 

Poucos dias antes da prisão, a polícia se reuniu com o líder da igreja para exigir que ele e os membros desistissem da fé cristã e parassem de se reunir, alegando como causa o aumento do número de casos de Covid-19 no país. 

As autoridades emitiram um documento e forçaram o líder e os membros a assinarem, mas eles se recusaram. 

Tentativa de cumprir os protocolos 

No dia anterior à reunião, os membros da igreja concordaram em se dividir em dois grupos para cumprir as medidas de saúde e segurança estabelecidas pelo governo contra a propagação do vírus. 

No domingo (15), apenas nove foram à reunião, incluindo o bebê. De acordo com a Portas Abertas, todos usavam máscaras, tinham álcool em gel para as mãos e observavam as diretrizes de distanciamento social. Mesmo assim, todos foram presos.

 Um dia após a prisão, apenas três cristãos foram soltos: a mãe com o bebê de seis meses e um idoso. Os outros seis fiéis só foram libertados neste fim de semana, depois que um líder da igreja conversou com as autoridades locais. 

Prisão de cristãos durante a pandemia

Infelizmente, em todo o mundo, os cristãos estão sendo ainda mais perseguidos e passaram a enfrentar mais dificuldades com o início da pandemia por Covid-19. No Canadá, por exemplo, o pastor da Igreja Batista Fairview, no sudeste de Calgary, Tim Stephens, foi preso após violar as restrições impostas pelo governo.

Em Cuba, um cristão envolvido em trabalho humanitário foi preso por “espalhar epidemias”. De acordo com fontes locais, as autoridades cubanas estão acusando os crentes por desobediência e disseminação de doenças. As multas aplicadas são de valores exorbitantes. 

Nos Estados Unidos, um cristão que pregava ao ar livre foi multado e processado durante o período de restrições da pandemia. Joshua Sutcliffe, de 31 anos, estava com um amigo distribuindo panfletos em Camden, no norte de Londres, quando foram parados pela polícia.

O pregador foi informado por quatro policiais que ele estava violando os regulamentos de saúde, já que estava ao ar livre sem um motivo razoável.

No Brasil, em março deste ano, o Ministério Público de SP chegou a cogitar a possibilidade de retirar as igrejas da categoria de serviços essenciais durante a fase vermelha da pandemia.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame