ONG do Bispo TD Jakes arrecada ajuda para 25 mil famílias no Haiti, após terremoto

A United MegaCare, que já possui um histórico de ajuda ao Haiti durante crises humanitárias, vai enviar suprimentos de socorro para o país.

Fonte: Guiame, com informações do The Christian Post Atualizado: sexta-feira, 27 de agosto de 2021 18:11
A United MegaCare vai enviar suprimentos de socorro para o país. (Foto: Eginald Louissaint JR/AFP via Getty Images).
A United MegaCare vai enviar suprimentos de socorro para o país. (Foto: Eginald Louissaint JR/AFP via Getty Images).

A organização humanitária do Bispo TD Jakes, a United MegaCare (UMC), está levantando ajuda para cerca de 25 mil famílias no Haiti, depois que o país foi devastado por um terremoto de magnitude 7,2 e pela tempestade tropical Grace. 

A ONG da igreja de Jakes, a The Potter's House, anunciou nesta segunda-feira (26) que se uniu às igrejas Perfecting Faith Church of New York e Tabernacle of Glory, de Miami, nos Estados Unidos, para oferecer ajuda aos haitianos afetados pelos desastres naturais.

A United MegaCare, que já possui um histórico de ajuda ao Haiti durante crises humanitárias, vai atender as necessidades imediatas das famílias necessitadas, enviando suprimentos até o final deste mês. 

“No momento, estamos focados em ajudar a compensar o custo dos kits de socorro em andamento com nossos parceiros locais no Haiti e parceiros que estão indo para o Haiti”, disse a ONG ao The Christian Post. Acrescentando que “ainda não conseguimos cumprir os objetivos que estabelecemos para ajudar os necessitados”. 

Dividindo a operação de ajuda em duas fases, primeiramente a UMAC vai enviar barracas, EPIs (Equipamentos de Proteção Individuais), alimentos não perecíveis e suprimentos de emergência. A fase dois será implantada, após uma avaliação da situação dos haitiano necessitados posteriormente. 

No início de agosto, o Haiti foi atingido por um forte terremoto, o maior desde o de 2010, que destruiu o país caribenho. No domingo (22), a Agência de Proteção Civil do Haiti divulgou que o número atual de mortos na tragédia chegou a 2.200 pessoas, com mais de 300 desaparecidos e mais de 12 mil feridos.

O arquidiácono Abiade Lozama, da Igreja Episcopal de St. Sauveur na cidade haitiana de Les Cayes, disse ao The New York Times que as ruas estavam “cheias de gritos” e de pessoas procurando seus entes queridos.

“As pessoas estão sentadas esperando por uma palavra, e não há nenhuma palavra. Nenhuma palavra sobre sua família, nenhuma palavra sobre quem vai ajudá-las”, disse Lozama. “Quando acontece uma catástrofe dessas, as pessoas esperam por uma palavra ou algum tipo de confiança do estado. Mas não há nada. Nenhuma ajuda”, revelou. 



Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame