ONG do Bispo TD Jakes arrecada ajuda para 25 mil famílias no Haiti, após terremoto

A United MegaCare, que já possui um histórico de ajuda ao Haiti durante crises humanitárias, vai enviar suprimentos de socorro para o país.

Fonte: Guiame, com informações do The Christian Post Atualizado: sexta-feira, 27 de agosto de 2021 18:11
A United MegaCare vai enviar suprimentos de socorro para o país. (Foto: Eginald Louissaint JR/AFP via Getty Images).
A United MegaCare vai enviar suprimentos de socorro para o país. (Foto: Eginald Louissaint JR/AFP via Getty Images).

A organização humanitária do Bispo TD Jakes, a United MegaCare (UMC), está levantando ajuda para cerca de 25 mil famílias no Haiti, depois que o país foi devastado por um terremoto de magnitude 7,2 e pela tempestade tropical Grace. 

A ONG da igreja de Jakes, a The Potter's House, anunciou nesta segunda-feira (26) que se uniu às igrejas Perfecting Faith Church of New York e Tabernacle of Glory, de Miami, nos Estados Unidos, para oferecer ajuda aos haitianos afetados pelos desastres naturais.

A United MegaCare, que já possui um histórico de ajuda ao Haiti durante crises humanitárias, vai atender as necessidades imediatas das famílias necessitadas, enviando suprimentos até o final deste mês. 

“No momento, estamos focados em ajudar a compensar o custo dos kits de socorro em andamento com nossos parceiros locais no Haiti e parceiros que estão indo para o Haiti”, disse a ONG ao The Christian Post. Acrescentando que “ainda não conseguimos cumprir os objetivos que estabelecemos para ajudar os necessitados”. 

Dividindo a operação de ajuda em duas fases, primeiramente a UMAC vai enviar barracas, EPIs (Equipamentos de Proteção Individuais), alimentos não perecíveis e suprimentos de emergência. A fase dois será implantada, após uma avaliação da situação dos haitiano necessitados posteriormente. 

No início de agosto, o Haiti foi atingido por um forte terremoto, o maior desde o de 2010, que destruiu o país caribenho. No domingo (22), a Agência de Proteção Civil do Haiti divulgou que o número atual de mortos na tragédia chegou a 2.200 pessoas, com mais de 300 desaparecidos e mais de 12 mil feridos.

O arquidiácono Abiade Lozama, da Igreja Episcopal de St. Sauveur na cidade haitiana de Les Cayes, disse ao The New York Times que as ruas estavam “cheias de gritos” e de pessoas procurando seus entes queridos.

“As pessoas estão sentadas esperando por uma palavra, e não há nenhuma palavra. Nenhuma palavra sobre sua família, nenhuma palavra sobre quem vai ajudá-las”, disse Lozama. “Quando acontece uma catástrofe dessas, as pessoas esperam por uma palavra ou algum tipo de confiança do estado. Mas não há nada. Nenhuma ajuda”, revelou. 



Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame