ONG cristã resgata menina sequestrada pelo Estado Islâmico e a devolve para sua família

Após 5 anos em regime de escravidão, Sonia Bashar se reencontrou com a mãe graças a uma operação de busca e resgate da The Nazarene Fund.

Fonte: Guiame, com informações de The Nazarene FundAtualizado: quarta-feira, 25 de agosto de 2021 19:02
Sonia Khalil Bashar foi sequesrada pelo Estado Islâmico em 2014, com apenas 4 anos. (Foto: Reprodução/The Nazarene Fund).
Sonia Khalil Bashar foi sequesrada pelo Estado Islâmico em 2014, com apenas 4 anos. (Foto: Reprodução/The Nazarene Fund).

Uma menina iraquiana, que foi sequestrada pelo Estado Islâmico há 5 anos, pode se reecontrar com sua família, depois que a ONG cristã The Nazarene Fund a resgatou em segurança. 

Sonia Khalil Bashar tinha apenas 4 anos quando o grupo extremista Estado Islâmico a sequestrou junto com sua família, da etinia yadizi, em Sinjar, no Iraque, em 2014. Eles foram levados para uma prisão em Mosul, onde seus irmãos foram separados da família e mais tarde, desapareceram.

A menina ficou com seus pais por mais de 4 meses até também ser enviada para uma pré-escola islâmica com outras crianças yazidi, entre 3 a 7 anos, onde eram forçadas a estudar o islã. 

Meses depois, Sonia foi vendida para um família muçulmana em Mosul, onde foi escravizada e forçada a fazer tarefas domésticas e a memorizar o Alcorão. Quando o Estado Islâmico perdeu o controle da região e foi derrotado pelo exército iraquiano, a família que a detinha fugiu para um deserto e Sonia desapareceu. 

Alguns anos antes, a mãe de Sonia foi resgatada e se refugiou no Canadá. Ao saber do trabalho de resgate humanitário da The Nazarene Fund, ela entrou em contato e pediu ajuda para encontrar sua filha desaparecida.

Então, as equipes da ONG cristã lançaram uma operação de busca e resgate por Sonia. Depois de meses de investigação, uma pista sobre o paradeiro da menina foi encontrada com a ajuda de uma família cristã em Qaraqosh, que informou sobre um orfanato em Mosul, onde muitas jovens Yazidi eram mantidas.

Os agentes da ONG foram imediatamente até o orfanato e procuram por Sonia entre as crianças. Quando a encontraram, confirmaram sua identidade através de kit de teste de DNA e atestaram que realmente se tratava de Sonia. Então, a equipe entrou com os procedimentos legais para sua libertação e a levou de volta à sua mãe.

“Eu sou muito grata a esta organização e a cada pessoa que estendeu sua mão para nos ajudar”, disse a mãe de Sonia. 

Depois de anos em regime de escravidão e cativeiro, sendo tratada desumanamente, a menina pode enfim ser recebida nos braços da mãe em seu lar. 



Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame