"Não deixaremos Jesus, mesmo que tenhamos que morrer", dizem cristãos atacados na Índia

As famílias atacadas haviam se convertido ao cristianismo há algum tempo, o que teria despertado a ira de extremistas hindus locais.

Fonte: Guiame, com informações da Portas AbertasAtualizado: quinta-feira, 31 de dezembro de 2020 15:02
A Índia está classificada em 10º lugar na lista de observação mundial do Portas Abertas para 2020. (Foto: Portas Abertas / EUA)
A Índia está classificada em 10º lugar na lista de observação mundial do Portas Abertas para 2020. (Foto: Portas Abertas / EUA)

Duas famílias cristãs de agricultores foram atacadas e tiveram suas plantações destruídas por radicais hindus, na Índia.

As famílias atacadas haviam se convertido ao cristianismo há algum tempo, o que teria despertado a ira dos extremistas locais.

Anteriormente, tais famílias já haviam sido ameaçadas e chegaram a ser agredidas pelos radicais hindus, que exigiam que os cristãos negassem a Jesus, mas os crentes se negaram a atender tal exigência. Então, os aldeões extremistas voltaram às terras agrícolas dessas famílias e incendiaram as plantações. Um vídeo mostra os cristãos em suas terras, após os incêndios criminosos.

Confira, clicando abaixo:

"Eles sofreram uma grande perda. São agricultores e esta colheita foi muito significativa para eles. Todos os anos eles mantinham alguns grãos de alimentos para consumo próprio e vendiam uma parte para atender às outras necessidades. Eles estão muito abalados no momento", conta um líder cristão local.

Mesmo tendo sofrido tais ataques, as famílias permanecem com sua fé firme em Cristo. Eles disseram que a fé não pode ser comparada com pertences terrenos.

"O que poderia ser pior? Sim, eles podem nos matar, mas não deixaremos Jesus, mesmo que tenhamos que morrer", dizem as famílias.

Atualmente, a Índia ocupa o 10º lugar na Lista Mundial da Perseguição para 2020 da Portas Abertas. Os extremistas hindus atacam constantemente cristãos, pressionando-os a abandonarem sua fé em Jesus e se converter ou retornar ao hinduísmo.

Siga-nos

Mais do Guiame