Índia teve quase 7 mil casos de perseguição aos cristãos em 2020, segundo Portas Abertas

Entre os anos de 2019 e 2020, o número de incidentes contra os seguidores de Cristo é oito vezes maior.

Fonte: Guiame, com informações de Portas AbertasAtualizado: quinta-feira, 29 de julho de 2021 13:09
Cresce o número de mortes e violência física de radicais hindus contra cristãos. (Foto Representativa: Reprodução/India Times)
Cresce o número de mortes e violência física de radicais hindus contra cristãos. (Foto Representativa: Reprodução/India Times)

A violência contra os cristãos na Índia aumentou, conforme pesquisa recente da Portas Abertas. O número de incidentes contra os seguidores de Jesus chegou a 6.981 em 2020, oito vezes mais do que em 2019.

Pelo menos 18 pessoas foram assassinadas, de acordo com a Lista Mundial da Perseguição 2021 — um número 125% maior do que no ano anterior. Já os abusos físicos aumentaram em 217 casos, em comparação a 1.676 em 2019. 

Os dados sobre ataques a casas ou propriedades de cristãos cresceram de 51 relatos para 201. O vídeo abaixo mostra casas de cristãos sendo destruídas por extremistas hindus.

Segundo o relatório “Mentiras Destrutivas: Desinformação”, um dos principais fatores do crescimento da violência na Índia, é o discurso de ódio contra minorias religiosas. 

Mentiras contra cristãos indianos

As mentiras espalhadas sobre os cristãos favorecem a discriminação e incitam a fúria, principalmente dos radicais hindus. A maioria dos ataques são ignorados e até tolerados, tanto pelas autoridades indianas quanto pelos veículos de comunicação baseados no nacionalismo hindu.

A Portas Abertas explica que os números relatados são apenas a ponta do iceberg. Muitos incidentes não são relatados e uma das principais causas para isso é que, infelizmente, muitos cristãos que vivem em áreas rurais pensam que a perseguição é normal e não podem fazer nada a respeito. 

“Eles não conhecem os direitos deles. E a pandemia é outro fator. Nossos parceiros são menos capazes de investigar incidentes devido a todas as restrições. Mesmo assim conseguimos levar ajuda alimentar a 126 mil cristãos, em 2020”, explicou o porta-voz da instituição.

Na Índia, quem abandona o hinduísmo para seguir a Cristo é excluído da sociedade e visto como cidadão de segunda categoria. Os extremistas hindus acreditam que todos os indianos devem seguir o hinduísmo e que no país não deve haver cristãos nem muçulmanos. Para atingir esse objetivo eles estão usando de muita violência, principalmente contra os cristãos.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame