Fazendeiros criam loja agropecuária para financiar missões e evangelismo na Austrália

Desde 1978, a Agies Rural doa todo seu lucro para organizações cristãs. Somente em 2020, foram doados mais de 450 mil dólares para 23 ministérios.

Fonte: Guiame, com informações do Eternity NewsAtualizado: sexta-feira, 16 de julho de 2021 14:55
Membro da Agies Ltd: o presidente Andrew McClenaghan (à esquerda) e o tesoureiro James Kahl. (Foto: Jonathan Harris).
Membro da Agies Ltd: o presidente Andrew McClenaghan (à esquerda) e o tesoureiro James Kahl. (Foto: Jonathan Harris).

Em 1978, com o desejo de arrecadar dinheiro para o trabalho evangelístico, um grupo de cinco fazendeiros cristãos implantou a Agies Rural Retail, uma loja de agropecuária, na pequena cidade de Wee Waa, na Austrália

Na época, os agricultores se uniram e compraram a loja que já existia e a transformaram numa organização cristã de arrecadação de fundos.  Desde lá, todo o lucro da Agies tem sido usado para proclamar o Evangelho.

“A Agies Ltd foi originalmente criada para financiar a pregação e proclamação das boas novas, para promover o empreendimento missionário, a educação e o treinamento de obreiros evangélicos e realmente não mudou muito desde então”, disse Andrew McClenaghan, atual presidente da Agies Ltd, à Eternity News.

A Agies é a única loja agropecuária da cidade de apenas 2 mil habitantes e a comunidade local tem apoiado a causa cristã e ajudado a prosperar o empreendimento. Em 2020, a loja agropecuária doou mais de 450 mil dólares para 23 ministérios, incluindo a Sociedade Bíblica da Austrália, a Sociedade Missionária da Igreja (CMS) da Austrália, a Sydney Missionary e a Bible College (SMBC), bem como ministérios menores.


Loja agropecuária Agies Rural em Wee Waa, na Austrália. (Foto: Jonathan Harris).

Andrew explica que a distribuição dos recursos é decidida por um conselho da organização, formado por três membros da Agies. 

“As distribuições mais recentes são de cerca de 65% para o trabalho missionário e 25 a 30% para a educação, como apoiar as Bíblias nas escolas ou financiar um bolsista em Uganda para concluir um curso de teologia. E então o restante, de cerca de 5%, é para o que chamamos de 'boas obras', como pedidos que recebemos de equipamentos para realizar atividades cristãs com crianças”, afirmou o presidente.

McClenaghan testemunha que nem mesmo a grande seca dos últimos três anos, que atingiu Wee Waa, foi capaz de impedir a loja agropecuária de apoiar o ministério cristão. “Apesar da intensidade da seca, ela está muito bem suportada”, afirmou.

Além da loja de produtos agropecuários, a Agies Ltd também investiu em outros meios de gerar fundos para ajudar a obra do Reino. A organização adquiriu uma carteira de ações e um terreno ao lado da loja, com uma planta de processamento de grãos. 

Segundo McClenaghan, a organização leva a sério seus compromissos com os ministérios cristãos que auxilia, seja na seca ou na abundância: “Se não ganharmos o suficiente para cobrir o valor prometido com a receita da loja e com o valor crescente das ações ou dividendos, algumas das ações serão vendidas para cumprir o compromisso de distribuição”.

“Sentimos que é importante para as pessoas do outro lado, especialmente alguns dos ministérios no exterior, em particular, porque eles realmente dependem do dinheiro que enviamos para continuar fazendo o que estão fazendo”, declarou o presidente da Agies Ltd.





Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame