Evangelistas percorrem o Brasil com roteiro dado por Deus: “Pessoas têm aceitado Jesus”

O movimento Evangelismo Por Fogo (EPF) é formado por evangelistas que tem levado o Evangelho a cidades brasileiras.

Fonte: Guiame, Luana NovaesAtualizado: quarta-feira, 7 de julho de 2021 18:29
Evangelistas durante pregação pública em Salvador, na Bahia. (Foto: Evangelismo Por Fogo)
Evangelistas durante pregação pública em Salvador, na Bahia. (Foto: Evangelismo Por Fogo)

Com um microfone e uma agenda dada por Deus para pregar pelo Brasil, um grupo formado por jovens evangelistas tem levado o Evangelho a ruas e praças.

O movimento Evangelismo Por Fogo (EPF) nasceu em outubro de 2020, inspirado pelo evangelista americano Phillip Blair — que se tornou um rosto conhecido por pregar arrependimento a diversas cidades ao redor do mundo.

Segundo a líder do EPF, Thais Cavalcante, de 38 anos, os evangelistas foram “ativados” durante a vinda de Blair para o Brasil em 2020. 

“O Senhor nos apresentou pelo Instagram. Todos nós orávamos por ajuntamento de irmãos na mesma visão e mesmo propósito. Como o nosso Deus não se limita a nada, assim iniciamos o ministério”, disse Thais em entrevista ao Guiame.

A primeira ação evangelística do EPF aconteceu em Indaiatuba, no interior de São Paulo. Desde então, os jovens têm seguido uma agenda dada por Deus, para pregar em todo o território nacional.

“Deus me deu um sonho em 2019, um ano antes do EPF surgir. Foi um sonho forte e pontual onde Ele me sinalizava que um ministério estava para nascer e que Ele iria nos conduzir a cada local”, afirma Thais. “Ele provê tudo: desde a cidade aos irmãos que nos acolhem em suas igrejas e casas.”

Atualmente, o Evangelismo Por Fogo é formado por uma equipe de 9 pessoas, pertencentes a diversas denominações diferentes, como Igreja Batista e Assembleia de Deus. No entanto, é interdenominacional e preza pelo vínculo congregacional. “Estamos debaixo das nossas lideranças espirituais”, disse Thais.

As saídas para o evangelismo em praça pública acontecem mensalmente, no último fim de semana de cada mês, de sexta a domingo. O roteiro é feito pelos evangelistas que moram na cidade.

“Percorremos as ruas, becos e morros daquela cidade na intenção de pregar em voz alta, declarando e decretando que Jesus Cristo é o Senhor”, explica Thais.

Estratégia evangelística

Os microfones são a principal marca da pregação pública feita pelo EPF. De acordo com Thais, esse recurso é usado para potencializar a mensagem. “A voz alta remete a autoridade no mundo espiritual do que queremos declarar. Imaginem se João Batista tivesse naquela época esse recurso?”, questiona.

Apesar do microfone, o grupo também destaca a importância do evangelismo individual. Thais explica que, enquanto um determinado pregador do grupo ecoa a mensagem pelo microfone, outros ficam na intercessão, observando pessoas que possam ser evangelizadas face a face. “Utilizamos dessa junção e tem dado muito certo”, afirma.


Evangelista conversa com homem no Rio de Janeiro. (Foto: Evangelismo Por Fogo)

Muitos têm sido os testemunhos vistos pelo grupo: “Pessoas manifestadas por demônios que se arrependem e confessam a Cristo, ovelhas perdidas que, de alguma forma, o Senhor nos usa para retornarem. Em cada cidade que passamos, quando há conversões, as pessoas são direcionadas para serem discipuladas”.

Transformação e chamado

Thais já foi uma dessas “ovelhas perdidas”. Ela entrou no mundo da moda na adolescência, em 2007, em sua cidade natal, Salvador (BA). Embora fizesse alguns trabalhos comerciais, seu desejo era ser reconhecida na televisão — Thais passou cinco anos (de 2009 a 2012) tentando entrar no Big Brother Brasil, mas nunca conseguiu ser aprovada para o reality show. “Certamente Deus já estava agindo e me dando livramento”, observa.

Em 2015, Thais passou a lidar com depressão e síndrome do pânico. Ela era espírita e se envolvia com “ocultismo e bruxaria”, mas não encontrou a resposta nessas coisas. Em maio de 2015, no dia do batismo de seu irmão, ela foi tocada por Deus e decidiu também seguir a Cristo.

“Sofri uma conversão absurdamente sobrenatural, uma metanoia”, ela afirma. “Desde o início, sempre fui muito participativa do ministério de evangelismo da minha igreja local. Atuei em todas as áreas de evangelismo, até entender especificamente o chamado em que atuo hoje.”


Thais Cavalcante em 2013, antes da conversão, e em 2019, atuando na igreja. (Foto: Thais Cavalcante)

Com tudo o que tem vivido nas ruas, estas são as maiores lições de Thais: “O mundo espiritual é mais real do que o mundo físico. A batalha é muito forte e temos que nos preparar para lutar o bom combate.”

Para a batalha, o EPF precisa de mais guerreiros. “Em cada cidade que passamos, irmãos poderão ser despertados para darem continuidade a esse trabalho, montando suas equipes. Precisamos de homens com esse chamado para somar conosco”, afirma.

Para mais informações e doações, entre em contato com a líder do Evangelismo Por Fogo através do Instagram @evangelismopor_fogo e @_thaiscavalcante_.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame