Estudante de Medicina cria ministério para atender vítimas de tráfico humano

Depois de atuar numa ONG cristã, atendendo sobreviventes do tráfico, Megan Duggins percebeu a necessidade de treinamento para profissionais da saúde.

Fonte: Guiame, com informações de Baptist PressAtualizado: segunda-feira, 30 de agosto de 2021 16:47
A cristã Megan Duggins criou um ministério para capacitar profissionais de saúde a identificar e cuidar de vítimas do tráfico humano. (Foto: Baptist Press).
A cristã Megan Duggins criou um ministério para capacitar profissionais de saúde a identificar e cuidar de vítimas do tráfico humano. (Foto: Baptist Press).

A cristã Megan Duggins, estudante de Medicina nos Estados Unidos, criou um ministério para capacitar profissionais de saúde a identificar e cuidar de vítimas do tráfico humano

Depois de servir como voluntária na Baptist Friendship House, atendendo sobreviventes do tráfico, Megan percebeu que a formação acadêmica não preparava os profissionais para lidar com situações como aquelas. 

“Foi muito claro para mim que eu não era necessariamente a mais bem preparada para responder adequadamente à situação”, disse Duggins à Baptist Press. “O voluntariado me mostrou o nível de atendimento que precisamos fornecer para essas vítimas e realmente colocou duas questões na minha cabeça: Como estou como uma futura médica e meus colegas me preparando para responder a essas situações realmente delicadas, e o que posso fazer sobre isso?”, afirmou a estudante da Eastern Virginia Medical School.

Então, a futura médica decidiu fazer algo para mudar esta realidade, inspirada em sua experiência na Baptist Friendship House, uma organização humanitária dos Batistas do Sul, que serve mulheres e crianças em vulnerabilidade social.

Megan recentemente criou a ONG From Red Flags to Freedom, com o propósito de “educar e capacitar futuros profissionais de saúde para identificar os sinais de alerta do tráfico de pessoas e como cuidar das vítimas com dignidade”.

Após começar a orar pelo fim do tráfico de pessoas, Megan conta que o desejo de ajudar brotou em seu coração e foi encorajada a agir por sua fé. 

“Quando você fizer orações ousadas, não se surpreenda quando Deus der respostas ousadas e esteja preparado para fazer algo. Não ore muito e depois não responda, porque isso é falta de fé. A obediência atrasada ainda é desobediência. Uma coisa é orar, mas outra é dar passos práticos de obediência”, refletiu a estudante.

Atuando como presidente da ONG, Megan disse que agora o primeiro objetivo será criar um programa de treinamento, onde profissionais da saúde e estudantes aprenderam através de vídeos e avaliações. A previsão de início do treinamento é para o início de 2022. 

A jovem cristã espera que o programa auxilie profissionais a se sentirem mais confiantes para atuar com vítimas de tráfico humano, quando a situação surgir.  “É melhor estar excessivamente preparado e saber como responder, do que dizer que nunca vai acontecer com você e lidar mal com isso”, concluiu Duggins.

Para Megan Duggins, os cristãos devem trabalhar para cumprir o mandamento de amar o próximo, se importando quando a dignidade é negada a ele. 

“Deus fez cada pessoa com valor intrínseco e ama a todos sem parcialidade. Isso deve transformar a forma como vemos cada pessoa, e as coisas que partem o coração de Jesus, devem partir o nosso”, declarou.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame