Esposa do Pastor Saeed Abedini inicia jejum de 21 dias pela libertação do marido, preso no Irã

O marido de Naghmeh já está preso há quase três anos em no Irã, em razão de sua fé cristã. A República Islâmica recusa-se a libertá-lo, apesar da pressão internacional e várias campanhas.

Fonte: Guiame, com informações do Christian PostAtualizado: quinta-feira, 10 de setembro de 2015 15:57
Esposa do Pastor Saeed, Naghmeh Abedini tem batalhado há quase três anos pela libertação do marido.
Esposa do Pastor Saeed, Naghmeh Abedini tem batalhado há quase três anos pela libertação do marido.

A esposa do pastor norte-americano preso Saeed Abedini, Naghmeh Abedini está se submetendo a um 'Jejum de Daniel', que vai até 26 de setembro, para marcar a data em que seu marido foi jogado em uma prisão iraniana, há três anos. Ela disse que também está em jejum pelos cristãos perseguidos em todo o mundo e exortou a todos que se juntassem a ela por estas causas.

"Eu estou em jejum de determinados tipos de alimentos. (Daniel 10: 3 - 'eu não ingeri alimentos, como carne ou vinho, nem me ungi com ungüento, até que três semanas inteiras fossem cumpridas") eu pretendo me abster de café e chocolate. Você é livre para abster-se de alimentos, mídias sociais, TV, pular uma refeição ou duas... o importante é passar este tempo em oração", lembrou Naghmeh em uma postagem nas mídias sociais sobre o jejum que começou no último domingo (6).

"A Escritura que o Senhor me tem dado para este tempo de oração e jejum tem sido a de Hebreus 12:1-2. Que ao nos lembrarmos de Saeed e a Igreja Perseguida (as 'testemunhas'), olhemos para a nossa própria caminhada com Deus e nos livremos de todos os pecados que são nos enganam tão facilmente. O Senhor está me mostrando que quando oramos por Saeed e a Igreja perseguida e nos lembramos das testemunhas, o reavivamento pode vir à nossa própria vida e ao nosso país".

O marido de Naghmeh já está preso há quase três anos em no Irã, em razão de sua fé cristã. A República Islâmica recusa-se a libertá-lo, apesar da pressão internacional e várias campanhas. O Irã acusou Abedini de "pôr em perigo a segurança nacional", e sentenciou o pastor a uma pena de até oito anos de prisão.

Abedini enfrentou um duro tratamento na prisão, incluindo espancamentos e ameaças de outros presos e guardas. Ele também está à espera de um tratamento médico importante que até agora não recebeu.

Em cada dia do jejum, até agora, Naghmeh tem vindo a registar uma pequena atualização com uma mensagem inspirada, centrada na oração por aqueles que estão sendo perseguidos por causa de seu compromisso com Jesus Cristo.

O Centro Americano para Lei e Justiça também compartilhou uma carta que foi enviada para a Missão Permanente da República Islâmica do Irã nas Nações Unidas, na qual Naghmeh pede para se encontrar com o presidente iraniano, Hassan Rohani, quando este viajar para a cidade de Nova York ao final deste mês de setembro.

"... Nos últimos três anos, a nossa família tem sofrido muito com a ausência de meu marido e pai dos meus filhos. Saeed está atualmente a preso na prisão de 'Rajaei Shahr', em Gohardasht. Saeed não é um criminoso. Ele não é uma ameaça para o Irã ou a para a estabilidade de seu governo", escreveu Naghmeh em sua carta.

"Saeed é um marido, é um pai. Ele sofre em razão dos ferimentos internos incorridos durante seu tempo na prisão, para os quais os médicos iranianos têm indicado a necessidade de cirurgia e hospitalização, mas que ele ainda não recebeu".


Acordo Nuclear com o Irã
A recente aprovação por parte do presidente Barack Obama a um acordo entre grandes potências mundiais e o Irã gerou revolta entre muitos cidadãos (norte-americanos e de outros países). Uma proposta de rejeição ao acordo está sendo votada esta semana no Congresso dos Estados Unidos.

Opositores ao acordo afirmam que o acordo não avalia o fato de que o Irã tem frequentemente desrespeitado Direitos Humanos fundamentais, como por exemplo a liberdade religiosa - o que pode ser comprovado no caso de Saeed Abedini.

Uma petição online está circulado pela internet e coletando assinaturas para exigir a libertação de Saeed Abedini.

Clique aqui para acessar a petição, clique aqui.

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame