"Dois terços da população é cristã e o governo não vê isso com bons olhos", diz analista sobre a Etiópia

Apesar de serem maioria, cristãos sofrem com falta de liberdade religiosa no país

Fonte: Guiame, com informações da Portas AbertasAtualizado: segunda-feira, 14 de setembro de 2015 18:08
Etiópia
Etiópia

Com dois terços da população cristã, a Etiópia ocupa a 22ª posição na lista de Perseguição Religiosa e isso prova a dificuldade dos cristãos no país.

"Dois terços da população é cristã e o governo não vê isso com bons olhos. O país foi uma das primeiras nações cristãs do mundo, a partir do quarto século, de acordo com um manual de missões global, conhecido como Operação Mundo", diz analista da Portas Abertas.

O analista explica que a Igreja Ortodoxa Etíope pertenceu ao Estado até a revolução marxista derrubar o imperador Haile Selassie. "O regime marxista perseguia os cristãos, especialmente os evangélicos, e destruía muitas igrejas e congregações que estavam espalhadas em diversas regiões."

Em 1991, quando o regime marxista entrou em colapso, comprometeu completamente a liberdade de culto e os grupos islâmicos ameaçaram os poderes religiosos.

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame