Cristãos são condenados à prisão no Irã por ‘fazerem propaganda contra o regime islâmico’

Os três cristãos, que foram julgados sem a presença de seu advogado, são alvos da nova lei que criminaliza outras formas de pensamento e religião que não sejam islâmicas.

Fonte: Guiame, com informações do Christian TodayAtualizado: terça-feira, 29 de junho de 2021 15:11
Os três cristãos, que foram julgados sem a presença de seu advogado, são alvos da nova lei que criminaliza outras formas de pensamento e religião que não sejam islâmicas. (Foto: Desiring God).
Os três cristãos, que foram julgados sem a presença de seu advogado, são alvos da nova lei que criminaliza outras formas de pensamento e religião que não sejam islâmicas. (Foto: Desiring God).

Três cristãos foram condenados a cinco anos de prisão por ‘fazerem propaganda contra o regime islâmico’, no Irã.

Amin Khaki, Milad Goudarzi e Alireza Nourmohammadi foram condenados pelo Tribunal Revolucionário de Karaj, no norte do país islâmico, sob a acusação de “atividades sectárias”, ​​de acordo com uma nova emenda ao código penal iraniano. 

A nova lei criminaliza outras formas de pensamento e religião que não seja a islâmica e afirma que "qualquer educação ou propaganda desviante que contradiga ou interfira com a sagrada sharia islâmica será severamente punida".

De acordo com Christian Solidarity Worldwide (CSW), uma organização que trabalha pela liberdade religiosa, os cinco cristão condenados injustamente planejam apelar a decisão. A CSW afirmou também que os homens foram julgados no tribunal sem a presença de seu advogado.

O tribunal alegou que isso aconteceu porque o advogado dos cristãos não conseguiu se registrar a tempo, porém a CSW afirma que atendeu aos requisitos necessários para a participação 10 dias antes do início do julgamento.

O presidente da CSW, Mervyn Thomas, apelou para que os cristãos sejam absolvidos. 

"A campanha de assédio contra os cristãos iranianos é implacável, como demonstram essas acusações infundadas contra esses três homens, sob uma nova cláusula do código penal. A CSW pede a absolvição desses homens inocentes. Também reiteramos nosso apelo à revogação de leis e artigos formulados ou utilizados para atingir as comunidades minoritárias”, disse.

Thomas também condenou a perseguição religiosa que os cristãos são alvos no Irã: "Finalmente, instamos as autoridades iranianas a libertar todos os prisioneiros detidos por causa de sua religião ou crença e a encerrar a campanha implacável de perseguição aos cristãos e outras minorias religiosas por meio do sistema judicial."

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame