Cristãos na China são proibidos de oferecer socorro espiritual às vítimas das enchentes

As autoridades de Xinxiang emitiram uma ordem, determinando que os crentes não compartilhem o Evangelho e não mencionem o nome de suas igrejas nas operações de ajuda.

Fonte: Guiame, com informações do International Christian ConcernAtualizado: quinta-feira, 29 de julho de 2021 13:05
Uma ordem foi emitida em Xinxiang, proibindo os cristãos de oferecer apoio espiritual às vítimas das inundações. (Foto: Stringer/Reuters).
Uma ordem foi emitida em Xinxiang, proibindo os cristãos de oferecer apoio espiritual às vítimas das inundações. (Foto: Stringer/Reuters).

As recentes enchentes na província de Henan, na China, afetaram 2 milhões de pessoas, deixando dezenas de mortos e 150 mil desabrigados. Os cristãos chineses logo se disponibilizaram para ajudar nas operações de ajuda, entretanto as autoridades da cidade de Xinxiang estão proibindo que eles ofereçam socorro espiritual às vítimas das inundações.

De acordo com a China Aid, recentemente o Escritório Municipal de Assuntos Étnicos e Religiosos de Xinxiang emitiu uma ordem, por telefone, desautorizando que cristãos participem do trabalho de ajuda em nome de igrejas ou de sua fé. 

A proibição determina que os crentes não compartilhem o Evangelho, revelem sua identidade cristã e mencionem o nome de suas igrejas. As autoridades locais alertaram os cristãos que descumprirem as ordens serão obrigados a abandonar as regiões devastadas pelas enchentes.

Quando a província de Henan foi fortemente atingida pelas inundações em 20 de julho, cristãos, organizações de ajuda humanitária e outras províncias se mobilizaram para a cidade de Zhenzhou, a fim de ajudar na operação de socorro. 

Em vídeos postados nas redes sociais, mostram que os cristãos participaram do resgate e que sua ajuda foi bem recebida. A polícia e os bombeiros reconheceram o auxílio dos seguidores de Cristo e até cooperaram com eles. Uma equipe cristã de Wuhan foi calorosamente recebida pelo comandante-chefe de Zhenzhou.Porém, quando grupos de cristãos foram para as cidade de Xinxiang e Weihui, com o propósito de fornecer apoio, as autoridades de Xinxiang os advertiram a não violarem “suas regras”. Para participar do trabalho de socorro, os crentes precisaram evitar mencionar sua fé e não puderam compartilhar as boas novas com os moradores atingidos pelas inundações. 

Nos últimos anos, a cidade de Xinxiang tem combatido o cristianismo, com centenas de cruzes removidas e igrejas fechadas. O bispo de Xinxiang, Joseph Zhang Weizhu, nomeado pelo Vaticano, foi preso em 21 de maio deste ano e ainda não foi libertado.



Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame