China usa crianças para espionar e ameaçar suas famílias cristãs

O Partido Comunista Chinês está usando os filhos menores de famílias cristãs para espionar os pais e ameaçando prejudicar a educação universitária dos filhos mais velhos.

Fonte: Guiame, com informações da Mission Network NewsAtualizado: sexta-feira, 30 de julho de 2021 12:49
O novo método de perseguição da China foca nos filhos de famílias cristãs. (Foto: The New York Times).
O novo método de perseguição da China foca nos filhos de famílias cristãs. (Foto: The New York Times).

A última tendência de perseguição do Partido Comunista Chinês (PCC) tem como alvo crianças cristãs. Agora, as autoridades estão ameaçando a educação superior dos filhos das famílias que se envolvem com a igreja.

“Eu [falei] no início desta semana com um de meus colegas de trabalho que está envolvido na China há décadas. Ele falou sobre como as crianças estão sendo usadas contra seus pais cristãos, e isso está acontecendo de várias maneiras diferentes”, disse o porta-voz da Voz dos Mártires, Todd Nettleton.

Segundo Nettleton, o governo chinês usa as crianças menores para espionar os pais cristãos, fazendo perguntas muito específicas sobre suas atividades na igreja. Além disso, as autoridades pressionam as famílias crentes, ameaçando negar oportunidades para os filhos mais velhos no futuro.

“As crianças estão sendo usadas, essencialmente, como espiões contra seus pais. No outro extremo do espectro, os pais que frequentam a igreja são ameaçados com a educação de seus filhos”, revelou Nettleton.

“[Funcionários dizem aos pais]: 'Vocês querem que seus filhos frequentem uma universidade na China? Você deve parar de se envolver na Igreja’”, acrescentou.

As famílias cristãs não conseguem livrar os filhos da influência do governo chinês, já que o ensino domiciliar não é permitido na China. “O governo está tentando sistematicamente fechar qualquer outra via para educar seus filhos. Eles os querem nas escolas ateístas do Partido Comunista”, afirmou Nettleton.

O porta-voz da Voz dos Mártires relatou que uma família cristã decidiu educar os filhos em casa, mas foi descoberta e perseguida.

“Uma família cristã escolheu educar seus três filhos em casa; o governo também é contra isso. Eles invadiram sua casa; eles pegaram alguns de seus materiais; eles os acusaram de terrorismo por educar seus filhos em casa”, contou.

Para Nettleton, o governo chinês está focando na nova geração para garantir que seu sistema comunista continue progredindo nas próximas décadas. 

“Assim como nós na Igreja estamos preocupados com a próxima geração, com a educação de jovens que estão prontos para permanecer em sua fé, o Partido Comunista está preocupado com a próxima geração também. Eles serão bons comunistas? Ou serão uma ameaça ao controle do Partido Comunista?”, disse Nettleton. 



Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame