China tranca pastor e família em casa com correntes na porta e impedem que recebam visita

O pastor Wu Wuqing vem sendo perseguido constantemente, a água e luz de sua casa já foram cortadas e ele já foi detido três vezes neste ano. A última prisão foi por fazer o ato fúnebre de um membro da igreja.

Fonte: Guiame, com informações do Christianity Daily Atualizado: segunda-feira, 14 de junho de 2021 19:57
O pastor Wu Wuqing, um dos líderes da Igreja local Early Rain Covenant na China, foi trancado junto com a família na própria casa. (Foto: ERCC).
O pastor Wu Wuqing, um dos líderes da Igreja local Early Rain Covenant na China, foi trancado junto com a família na própria casa. (Foto: ERCC).

O pastor Wu Wuqing, um dos líderes da Igreja local Early Rain Covenant (ERCC) na China, foi trancado junto com a família, na própria casa e impedido de receber visitas por autoridades do Partido Comunista Chinês (PCC). O líder foi detido em 26 de março e novamente em 1º de abril e vem sendo perseguido constantemente. 

De acordo com a International Christian Concern, as autoridades chinesas acorrentaram a porta corta-fogo da casa do pastor Wu, que leva ao elevador e à escada, impedindo que ele e família saiam e proibindo qualquer visitante de entrar na residência.

A casa está sendo vigiada de perto por agentes, que no início deixaram outras pessoas levarem comida à família encarcerada. Entretanto, em 8 de junho, eles começaram a proibir a entrada na casa do pastor, os visitantes só foram autorizados a entregar alimentos por uma porta, sem entrar. 

Wu Wuqing chamou a polícia para denunciar o bloqueio à sua residência. Os policiais foram à casa, mas se recusaram a tomar alguma iniciativa. A esposa do pastor Wu aproveitou a oportunidade para evangelizar os policiais, ela pregou sobre os dez mandamentos para eles.

"A porta foi trancada por nosso Pai Celestial. Quando chegar a hora, ela será aberta. "Vamos orar por eles todos os dias: que o Senhor ganhe suas almas”, disse a esposa de Wuqing aos membros da igreja.

O líder da Early Rain Covenant já é experimentado na perseguição comunista contra cristãos. Em 7 de maio, ele também foi preso por oficializar o ato fúnebre de um membro da igreja, acusado de perturbar a ordem pública. 

O pastor Wu foi liberto tarde da noite no mesmo dia, mas a perseguição continuou. Em 5 de maio, o pastor teve três pneus de seu carro furados. No dia seguinte, os novos pneus que Wu havia trocado foram furados novamente e ele percebeu que não adiantaria mais trocá-los. 

Além disso, os serviços públicos de água e luz de sua casa foram desligados diversas vezes. A polícia de Chengtu ameaçou aumentar a repressão e a vigilância, caso o pastor continue trabalhando em sua congregação.

A ERCC, presidida pelo pastor Wang Yi, foi fechada em 2018 pelas autoridades chinesas e até hoje a congregação é proibida de se reunir pessoalmente. O pastor Yi foi condenado por subversão de autoridade e práticas comerciais ilegais e sentenciado a nove anos de prisão. 

Em abril deste ano, o Departamento de Segurança Pública deteve outros membros da ERCC por participarem do Culto de Páscoa online no zoom. 

De acordo com uma cristã local que preferiu não se identificar, a polícia convocou os funcionários da igreja para controlar a programação online do fim de semana da ERCC, insistindo para que todo serviço religioso fosse suspenso.

Aumento da perseguição na China

As medidas regulatórias para reprimir o Cristianismo estão cada vez mais rigorosas no país comunista. No início de maio, a China fechou aplicativos da Bíblia e sites cristãos.

Em abril deste ano, líderes de igrejas domésticas na China foram perseguidos e criminalizados pelas autoridades. Élder Zhang Chunlei da Igreja Reformada Guiyang Ren'ai, o Pregador Zhang Peihong da Igreja de Shanghai Lancun Zhongyue e os Pregadores Qie Jiafu e Huang Chunzi da Igreja de Zion de Pequim foram vítimas da última repressão.

Gina Goh, gerente regional da ICC para o Sudeste Asiático, relatou: “As igrejas domésticas em toda a China estão vendo um aumento do assédio, desde invasões à igreja, repressão em suas atividades e a detenção de seus líderes. Pequim tenta intimidar os líderes na esperança de que as igrejas se dissolvam devido ao medo. Sua trama não terá sucesso, graças à resiliência da igreja doméstica chinesa. Eles sobreviveram à Revolução Cultural e também sobreviverão à era de Xi”.

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame