China prende alunos e professores de escola de música cristã e confisca pianos

Mais de 30 oficiais do Partido Comunista Chinês, incluindo oficiais da SWAT, invadiram a escola no início deste mês e também prenderam o diretor, que segue desaparecido.

Fonte: Guiame, com informações de Internacional Christian ConcernAtualizado: segunda-feira, 13 de setembro de 2021 18:17
Mais de 30 oficiais do Partido Comunista Chinês invadiram a escola no início deste mês. (Foto: Reuters/Christian Shepherd).
Mais de 30 oficiais do Partido Comunista Chinês invadiram a escola no início deste mês. (Foto: Reuters/Christian Shepherd).

Alunos e professores de uma escola de música cristã em Harbin, na província de Heilongjiang, na China, foram presos por autoridades do governo, no dia 4 de setembro, em mais um caso de perseguição religiosa. O diretor da escola, Xu, também foi preso e está desaparecido.

De acordo com o site China Aid, mais de 30 oficiais do Partido Comunista Chinês (PCC), incluindo oficiais da SWAT (Armas e Táticas Especiais, em português), policiais, oficiais do Gabinete de Assuntos Religiosos e administradores do distrito escolar local invadiram a escola cristã, às 8h30, e levaram presos mais de cem estudantes e os professores. Propriedades da instituição, como pianos, computadores e documentos foram confiscados. 

Um dia antes de ser preso pelo PCC, o diretor Xu contou para os professores que o dono da escola de música havia recebido uma ligação dos policiais, ameaçando a escola e perguntando se estavam preparados para o “julgamento”. Embora todos os alunos e a maioria dos professores tenham sido libertos no dia seguinte, alguns profissionais da escola ainda permanecem detidos, sendo interrogados. 

Segundo a International Christian Concern (ICC), uma organização cristã que monitora a perseguição no mundo, os cristãos locais estão preocupados que o diretor Xu seja criminalizado por “atrair menores para a religião”, já que a escola atende alunos menores de idade. 

“Como cada aluno paga 2.631 dólares pela mensalidade, é possível que o governo criminalize Xu por fornecer educação ilegal sob o crime financeiro”, afirmou o ICC.

O cristão Jin, amigo do diretor Xu, relatou: “Agora, os cristãos de algumas igrejas aqui estão lutando para encontrar um advogado para eles”. Jin também revelou que o diretor já havia sido perseguido pelo PCC anteriormente e alertou que agora não sabem sobre o seu paradeiro.

“O diretor Xu teve sua casa invadida duas vezes há seis meses. Seu telefone sempre foi grampeado. Apesar de nossos melhores esforços para descobrir seu paradeiro, não recebemos nenhuma notícia”, denunciou.

Jin explicou que o Partido Comunista Chinês é extremamente hostil em relação a escolas cristãs e caso a instituição não seja autorizada pelo governo, irão prender o responsável.



Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame