Casal instala ‘caixa de bebês’ em sua casa para abrigar crianças que seriam abortadas

Ronel e Dick Peters começaram a Fundação Ruach Elohim em abril de 2019, em sua casa na Namíbia.

Fonte: Guiame, com informações do Namibian NewspaperAtualizado: segunda-feira, 31 de maio de 2021 14:57
Dick Peters durante a instalação da caixa para receber bebês indesejados. (Foto: Ruach Elohim Foundation/Montagem Guiame)
Dick Peters durante a instalação da caixa para receber bebês indesejados. (Foto: Ruach Elohim Foundation/Montagem Guiame)

Um casal da Namíbia, um país do sul da África, instalou uma espécie de “caixa de correio” no muro de sua casa para receber bebês indesejados por suas mães. A iniciativa busca evitar abortos e promover a adoção.

“Por favor, não aborte, mate ou jogue fora seu bebê! Coloque seu bebê indesejado com segurança nesta caixa de proteção para bebês. Sem julgamento. Sem acusação. Disponível 24/7. Confidencial e anônimo”, diz o cartaz colocado em frente à casa na cidade de Swakopmund.

Ronel e Dick Peters começaram a Fundação Ruach Elohim em abril de 2019, logo após se mudarem de Windhoek, capital da Namíbia, para Swakopmund. Ruach Elohim significa “Sopro de Deus” em hebraico. 

“Decidimos abrir nossa casa para cuidar de bebês indesejados, negligenciados, vulneráveis ​​e abandonados”, disse Ronel Peters, de 46 anos, ao Namibian Newspaper.

Desde a sua criação, a fundação recebeu 19 bebês que precisavam de abrigo enquanto aguardavam sua adoção ou retorno aos seus pais, por meio do Ministério da Igualdade de Gênero, Erradicação da Pobreza e Bem-Estar Social da Namíbia.


Cartaz diz: "Por favor, não aborte, mate ou jogue fora seu bebê!" (Foto: Ruach Elohim Foundation)

Só nos primeiros meses de 2021, seis dos bebês que foram deixados na Ruach Elohim foram adotados.

“Somos procurados para apoio e aconselhamento por mães desesperadas, solteiras e grávidas que não conseguem cuidar de seus bebês ou que têm uma gravidez indesejada”, diz Ronel. “Ficamos aliviados por essas mães corajosas não machucarem seus bebês e optarem por deixá-los em um lugar seguro”.

Missão de salvar vidas

Ronel, que deixou seu emprego como representante farmacêutica e se mudou com o marido para Swakopmund, ficou ainda mais determinada a continuar sua missão após relatos de despejo de crianças na mídia.

“Embora tenhamos essa acomodação, percebemos que os bebês ainda são despejados e deixados em locais perigosos. Isso nos levou à conclusão de que mães desesperadas não sabem que existem locais seguros onde podem deixar seus bebês de forma anônima”, disse ela.

Desde que instalaram a Caixa Protetora de Bebês, o casal passou a apelar às mães que não pretendiam se desfazer de seus filhos para procurar qualquer assistente social, hospital ou delegacia em sua região, ou procurá-los de forma direta.


Dick e Ronel Peters já receberam mais de 19 bebês na fundação. (Foto: Ruach Elohim Foundation/Montagem Guiame)

Ronel e Dick têm três filhos, que já são adultos. “Nossos filhos cresceram com bebês em casa e sempre os acolheram e amaram como se fossem sua própria família. Eles sempre nos apoiaram nesta importante jornada para fazer uma diferença positiva na vida desses bebês”, disse Ronel.

A fundação atraiu interesse e apoio de namibianos, que doaram roupas, alimentos, produtos de higiene pessoal e dinheiro, o que permite ao casal empregar quatro cuidadores.

Dick diz que gosta de ficar com os bebês, sabendo que está fazendo a diferença em suas vidas. “O amor puro e alegria que eles nos dão é infinito e abundante. Somos muito abençoados por tê-los sob nosso teto e amá-los”, diz ele.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame