500 ex-rebeldes são batizados nas Filipinas após ouvirem pregações no rádio

Ao todo, além dos 500 ex-rebeldes, mais de 2.000 pessoas foram batizadas no final das reuniões evangelísticas nas Filipinas.

Fonte: Guiame, com informações do Adventist ReviewAtualizado: quarta-feira, 24 de novembro de 2021 15:18
O ex-líder rebelde Ka Martin e sua esposa, com os rostos pixelados por razões de segurança, foram batizados nas Filipinas. (Foto: Rádio Mundial Adventista)
O ex-líder rebelde Ka Martin e sua esposa, com os rostos pixelados por razões de segurança, foram batizados nas Filipinas. (Foto: Rádio Mundial Adventista)

Há uma rebelião comunista em andamento nas Filipinas, marcada pelo conflito entre o governo e guerrilheiros do Novo Exército Popular — o braço armado do Partido Comunista Marxista-Leninista-Maoista do país.

Esta é a insurgência comunista mais longa do mundo e registrou, entre 1969 e 2008, mais de 43.000 mortes relacionadas a ela.

Um capítulo manchado de sangue chegou ao fim no sábado, 13 de novembro, quando muitos ex-rebeldes, incluindo seu líder, deixaram de lado suas armas e desceram às águas do batismo. 

Ao todo, além dos 500 ex-rebeldes, mais de 2.000 pessoas foram batizadas no final das reuniões evangelísticas nas Filipinas.

Em 2019, muitos rebeldes passaram a ouvir a programação da Rádio Mundial Adventista. Como resultado, em meio à pandemia de Covid-19, muitos deles se entregaram a Jesus, relatou o presidente da rádio, Duane McKey.

O líder dos rebeldes, Ka Martin (nome fictício por razões de segurança), de cerca de 40 anos, não conseguia entender o que estava acontecendo com seus companheiros e também começou a ouvir a rádio.

“Ele estava se escondendo na selva, observando e tentando descobrir por que seus lutadores estavam deixando ele”, disse McKey em entrevista. “Então ele começou a ouvir a rádio.”

Como resultado, sua vida também foi transformada. Em 13 de novembro, cerca de 500 ex-rebeldes foram batizados, incluindo Martin e sua esposa, e cerca de 200 outras pessoas. 

Impacto através da rádio

A Rádio Mundial Adventista foi iniciada em 2017 em Mindoro, a sétima maior ilha das Filipinas, a fim de compartilhar pregações e estudos bíblicos antes de uma campanha evangelística. Todos os dias, ouvintes podiam ligar para responder à “pergunta do dia”, ganhando literatura cristã como prêmio. 

Cerca de 1.400 pessoas foram batizadas após a campanha evangelística de junho de 2017, e a rádio continua sendo transmitida até hoje.

A Rádio Mundial Adventista está trabalhando com o governo filipino e a ONG Farm Stew, para ajudar os ex-rebeldes a ter sustento através da agricultura. O governo deu lotes de terras aos ex-rebeldes, e Farm Stew os ensinará sobre o cultivo.


Além dos ex-rebeldes, mais de 2.000 pessoas foram batizadas. (Foto: Rádio Mundial Adventista)

Pregando para uma multidão ao ar livre de 2.500 pessoas antes do batismo em massa, o presidente da Associação Geral, Ted NC Wilson, enfatizou que todos foram rebeldes em algum momento de suas vidas. 

“Todos nós fomos rebeldes ao mesmo tempo, por não abraçar a Deus tão de perto como deveríamos”, disse ele. 

Wilson então se dirigiu diretamente a centenas de ex-rebeldes e suas famílias: “Hoje, pela graça de Deus, vocês não são mais ex-rebeldes”, disse ele. “Agora vocês são novas criaturas em Jesus Cristo. Vocês fazem parte da grande família de Deus que espera a breve volta de Jesus!”

Ex-rebeldes agradecem a Deus

Na noite de 14 de novembro, os ex-rebeldes organizaram um programa especial de agradecimento, transmitido pela rádio. No programa, os ex-rebeldes cantaram, oraram e compartilharam testemunhos sobre como se apaixonaram por Jesus.

“Foi realmente uma experiência incrível”, disse Kathy Proffitt, ex-embaixadora dos Estados Unidos em Malta e membro do conselho da Rádio Mundial Adventista. “Eles foram incrivelmente sinceros. As coisas que eles disseram vinham de coração. Se alguém duvidou que as conversões eram reais, bastou ouvir esses testemunhos ”.

As Filipinas concederam anistia aos ex-rebeldes. Um líder militar sênior do país expressou sua gratidão à Igreja Adventista por seu papel em trazer os rebeldes à paz. 

“Obrigado à Igreja Adventista do Sétimo Dia”, disse o general Jose Augusto Villareal, comandante da 203ª Brigada de Infantaria, que tem jurisdição operacional sobre a Ilha de Mindoro.

Siga-nos

Mais do Guiame