MENU

Israel

Palestinos queimam Estrela de Davi com suástica durante manifestação contra Israel

Os manifestantes jogaram explosivos e queimaram pneus para protestar contra a criação do posto avançado de Evyatar, na Cisjordânia.

Fonte: Guiame, com informações de The Jerusalem PostAtualizado: segunda-feira, 16 de agosto de 2021 18:08
A manifestação com o símbolo nazista foi gravada em vídeo e amplamente divulgada. (Foto: Abduallah Bahsh/Quds News Network).
A manifestação com o símbolo nazista foi gravada em vídeo e amplamente divulgada. (Foto: Abduallah Bahsh/Quds News Network).

Manifestantes palestinos queimaram uma Estrela de Davi com uma suástica dentro durante uma manifestação contra Israel, na noite deste sábado (14), próximo ao posto avançado de Evyatar, na Cisjordânia. A manifestação com o símbolo nazista foi gravada em vídeo e amplamente divulgada.

Em um método que os palestinos chamam de “confusão noturna”, manifestantes jogaram explosivos, queimaram pneus e apontaram lasers no topo da montanha para protestar contra a criação do posto avançado.

Para o Major General das Forças de Defesa de Israel, Ghassan Alian, “ao usar esses símbolos de ódio, os manifestantes cruzaram os limites”. 

“Esse tipo de ato não representa os valores de nenhuma sociedade, principalmente da palestina”, disse Alian. “Qualquer pessoa que participou deste evento terrível deve ter vergonha de si mesma. Condenamos veementemente este ato vergonhoso e conclamamos o povo palestino a fazer o mesmo”, declarou.

Os palestinos têm protestado, quase diariamente, na área de Nablus, contra a criação do posto avançado, desde sua fundação em maio. O posto foi construído pelos israelenses num local onde afirmam ser do Estado de Israel, porém os palestinos declaram que a área pertence às cidades de Beita, Qabalan e Yatma. 

Tumultos de ódio

Os distúrbios são semelhantes a outros que ocorreram ao longo da fronteira de Gaza, quando suásticas nazistas também foram usadas como símbolos de protesto. 

O ativista palestino Mohammed Zain afirmou que “os jovens que se manifestam contra os assentamentos ilegais são heróis”. 

“Continuaremos os protestos pacíficos até frustrar o plano do governo israelense de tomar nossas terras. O que aconteceu no sábado não é porque somos contra a religião judaica ou porque apoiamos Hitler. Queríamos apenas enviar uma mensagem de que não há muita diferença entre Israel e os nazistas”, afirmou Zain.

Os israelenses de direita condenaram o uso da suástica durante o pretesto em Evyatar e afirmaram que os palestinos revelaram sua verdadeira face.

Yamina MK Amichai Chikli, membro do partido de direita do primeiro-ministro Naftali Bennett, escreveu em sua conta no Twiter: “Do Mufti Haj Amin [al-Husseini] a Beita, o nacionalismo palestino ainda é inspirado pelo nazismo”.

Yossi, Dagan, chefe do Conselho Regional de Samaria, na região região da Cisjordânia onde ocorreu o motim, disse: “Os contínuos tumultos bárbaros dos terroristas de Beita e a intensidade da resistência violenta financiada pela Autoridade Palestina provam o quão estratégico e importante é Evyatar para o liquidação [unidade]”.

 

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame