MENU

Israel

Mais de 11 mil judeus retornaram para Israel no primeiro semestre de 2021

A Aliá teve um aumento de 30% nos primeiros meses deste ano, com judeus retornando a Terra Prometida vindo de diversos países, como Brasil, Etiópia e Índia.

Fonte: Guiame, com informações de International Christian Embassy Jerusalem Atualizado: terça-feira, 13 de julho de 2021 12:41
Judeus imigrantes chegam a Israel. (Foto: International Christian Embassy Jerusalem).
Judeus imigrantes chegam a Israel. (Foto: International Christian Embassy Jerusalem).

Durante os seis primeiros meses de 2021, Israel acolheu mais de 11 mil imigrantes judeus, marcando um aumento de 30% na Aliáretorno de judeus à Terra Santa — em comparação ao mesmo período do ano passado.

A estatística foi divulgada em relatório da Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém (ICEJ, na sigla em inglês), que desempenha um papel importante na Aliá e ajudou 16% desses olim (imigrantes judeus) a chegarem na Terra Prometida. 

Em 2021, a Embaixada Cristã auxiliou mais de 1800 judeus a imigrar para Israel. A organização patrocinou voos da Aliá para 1.164 recém-chegados de 17 países e financiou programas pré-Aliá para outros 700 imigrantes da Alemanha e da antiga União Soviética.

O destaque das ações da organização neste ano foi a chegada do último voo da Aliá da “Operação Rock of Israel”, trazendo o grupo final de cerca de 2 mil  judeus etíopes, num transporte de emergência lançado em dezembro de 2020. A ICEJ ajudou a realizar o sonho de retornar à terra judaica, patrocinando voos para 402 judeus etíopes. 

Em abril, um voo especial de evacuação organizado pela Agência Judaica, em parceria com a ICEJ, trouxe de volta a Israel 102 imigrantes judeus do Cazaquistão. A chegada deste grupo, em meio às restrições da pandemia da Covid-19, foi considerada um milagre por um funcionário da Agência Judaica. 


Judeus imigrantes chegam a Israel. (Foto: International Christian Embassy Jerusalem).

No final de maio, apesar do recente conflito em Gaza, Israel recebeu mais 500 imigrantes de mais de 20 países como Argentina, Brasil e França, durante a “Semana Super Aliá”. 

Judeus imigrantes da Índia também retornaram à Terra Santa neste mesmo período. Com o agravamento da pandemia do coronavírus na Índia, o gabinete israelense decidiu enviar um transporte aéreo de emergência para 548 membros da comunidade Bnei Menashe no nordeste da Índia, descendentes da tribo de Manassés. 

Um grupo inicial de 160 Bnei Menashe pousou em Israel no dia 31 de maio, como parte do transporte aéreo de emergência organizado pela Agência Judaica, a Shavei Israel, em parceria com a Embaixada Cristã. Porém, um grupo de 155 desses imigrantes ficaram retidos devido a testes positivos de Covid-19, atrasando seu regresso.

“Foi uma experiência difícil, pois todos eles estavam muito ansiosos para chegar a Israel depois de 27 séculos de exílio de sua terra natal ancestral. Mas, de repente, eles foram parados em trânsito e colocados em quarentena em Nova Delhi, onde permaneceram até que as autoridades de saúde israelenses e indianas concordassem que era seguro para eles viajarem para Tel Aviv”, afirmou a Embaixada Cristã.

A ICEJ ajudou nas despesas de moradia, alimentação e cuidados médicos, já que os imigrantes não possuíam condições de pagar. Após a recuperação da saúde dos imigrantes judeus, o grupo enfim desembarcou na Terra Prometida em 27 de junho. O próximo transporte aéreo dos outros 274 Bnei Menashe é previsto daqui a dois meses.

A Embaixada Cristã Internacional de Jerusalém celebrou o retorno de mais judeus à sua terra e agradeceu a ajuda de seus contribuintes. “Estamos trazendo judeus para casa de todas as direções, assim como os profetas hebreus predisseram (Isaías 43: 5-6). Juntos, podemos ajudar muito mais famílias judias a retornar à segurança e à promessa de sua pátria bíblica!”, afirmou.



Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame