MENU

Israel

Deus levantou Trump como a rainha Ester dos tempos modernos, diz Mike Pompeo

Mike Pompeo, secretário de Estado dos EUA, afirma que o governo de Donald Trump tem um forte compromisso com Israel.

Fonte: Guiame, com informações da CBN NewsAtualizado: terça-feira, 26 de março de 2019 14:16
Premiê israelense, Benjamin Netanyahu, presidente dos EUA, Donald Trump e o vice Mike Pence em Washington. (Foto: Saul Loeb/AFP)
Premiê israelense, Benjamin Netanyahu, presidente dos EUA, Donald Trump e o vice Mike Pence em Washington. (Foto: Saul Loeb/AFP)

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, acredita que o presidente Donald Trump pode ter sido levantado por Deus como a rainha Ester dos tempos modernos, pronto para defender Israel e salvar o povo judeu.  

Em entrevista à CBN News durante viagem a Israel, Pompeo, que é cristão, disse que os EUA tem um compromisso com a nação judaica.

Uma demonstração disso foi o reconhecimento da soberania de Israel sobre as disputadas colinas de Golã, oficializado por Trump na Casa Branca nesta segunda-feira (25), durante visita do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, aos EUA.

Netanyahu classificou o ato como o “milagre de Purim”, já que o anúncio se deu enquanto judeus do mundo inteiro celebram a festividade que comemora a salvação de Deus através da rainha Ester.

Questionado se ele acredita que Trump foi levantado por Deus como a rainha Ester, Pompeo respondeu que sim. “Como cristão, certamente acredito que isso é possível”, respondeu. “Podemos ver a notável história da fé neste lugar e o trabalho do nosso governo para se certificar de que esta democracia irá permanecer no Oriente Médio. Estou confiante de que o Senhor está trabalhando aqui”.

Pompeo também apaziguou algumas preocupações em relação ao acordo de paz que será apresentado pelos EUA ao Oriente Médio. “Tenho certeza que as coisas vão mudar com o passar do tempo, mas os evangélicos do mundo devem saber que essa é uma visão do que poderia finalmente solucionar esse conflito, mas sem sacrificar os princípios básicos de nenhuma das religiões”.


Benjamin Netanyahu (à direita) e o Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, (à esquerda) no Muro das Lamentações. (Foto: Kobi Gideon/GPO)

Outra preocupação foi o anúncio de Trump sobre a retirada das tropas americanas da Síria, afetando a segurança de cristãos e outras minorias na região. “Os desafios na Síria permanecem. Os EUA pretendem permanecer. Estamos perto da destruição do califado [do Estado Islâmico]. Será concluído muito em breve. Mas a ameaça do terrorismo islâmico radical continua. E assim haverá um esforço continuado dos EUA contra o EI na região”, esclareceu.

Instrução da fé

Ser o principal diplomata dos EUA é um grande desafio, mas Pompeo diz que está enraizado em Deus. “A tarefa que tenho é instruída pela compreensão da minha fé, minha crença em Jesus Cristo como Salvador. Não gera respostas e resultados todos os dias; todos nós como cristãos estamos procurando. Mas informa como eu devo tratar cada ser humano com dignidade e respeito, da forma como os cristãos devem agir”, disse ele.

“Eu nem sempre vivo de acordo com esse padrão, mas isso reflete a maneira como eu enxergo o mundo. Eu acho que isso faz uma diferença real, e eu quero que as pessoas saibam. É por isso que eu falo sobre isso de vez em quando. Quero que as pessoas conheçam a perspectiva que estou trazendo para os desafios do trabalho que enfrento, que exige que eu me mantenha dentro dos padrões pelos quais os cristãos se sustentam”, finalizou.

O presidente Jair Bolsonaro, que esteve nos EUA e no Chile nos últimos dias, irá desembarcar em Israel no próximo domingo (31).

Siga-nos

Mais do Guiame