MENU

Israel

Cristãos brasileiros ajudam a doar abrigos antibomba para comunidades de Israel

A Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém doará 30 novos abrigos antibombas para cidades israelenses na fronteira com o Líbano e Gaza.

Fonte: Guiame, com informações do Israel365Atualizado: sexta-feira, 15 de outubro de 2021 13:01
Membros associados à Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém ao lado de um abrigo antibomba doado no Kibutz Magan, no sul de Israel. (Foto: Reprodução / ICEJ)
Membros associados à Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém ao lado de um abrigo antibomba doado no Kibutz Magan, no sul de Israel. (Foto: Reprodução / ICEJ)

A Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém (ICEJ, sigla em inglês) disse na terça-feira (12) que encomendou mais 30 novos abrigos antibomba portáteis para as comunidades da fronteira israelense, que são especialmente vulneráveis ​​a foguetes de Gaza e do Líbano, com um foco maior na proteção de civis nas regiões do norte da Galileia e Haifa.

O ICEJ já doou um total de 155 abrigos antibomba nos últimos 15 anos para as comunidades israelenses, a maioria deles (129) localizados em cidades ao longo da periferia de Gaza e os 26 restantes no norte.

Na última década, o Negev recebeu a maior parte da atenção do governo e de fontes privadas que buscam proteger melhor os civis das frequentes ataques de foguetes.

Um abrigo antiaéreo no sul de Israel, doado pela Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém. (Foto: Reprodução / ICEJ)

Trabalhando em parceria com a "Operação Lifeshield", o ICEJ instalou dezenas de abrigos antiaéreos móveis na faixa de Gaza, em comunidades que se estendem de Kerem Shalom, no sul, até Sderot e Ashkelon.

A maioria foi doada a escolas, creches, clínicas médicas, centros juvenis, corredores comunitários, campi universitários, fábricas e outros locais públicos.

A necessidade de mais abrigos antiaéreos no norte, no entanto, tornou-se uma preocupação crescente, especialmente devido à grave falta de abrigos públicos e à crescente crise econômica do Líbano. Assim, o ICEJ está mudando seu foco para ajudar cidades nas regiões do norte da Galileia e Haifa a proteger suas comunidades mais vulneráveis.

Necessidade de proteção

Um relatório da Controladoria de Estado divulgado no ano passado alertou que 2,6 milhões de residentes do norte de Israel não têm acesso a abrigos antiaéreos funcionais.

Embora tenha havido esforços para atualizar os existentes, o orçamento do estado forneceu pouco financiamento para adicionar novos e melhores abrigos, em parte devido à instabilidade do governo de Israel nos últimos anos e à prioridade dada à reposição dos sistemas de defesa antimísseis Iron Dome (Domo de Ferro).

A demanda é mais aguda em cidades ao longo da fronteira norte com o Líbano, que são propensas a foguetes de menor alcance que não podem ser detidos pelo Iron Dome. Outras áreas de preocupação são aldeias agrícolas judias e árabes a leste de Haifa, perto de instalações estratégicas que podem ser alvos de conflito, como tanques de armazenamento de petróleo e fábricas de produtos químicos.

O ICEJ planeja entregar alguns dos novos abrigos nas próximas semanas para Haifa, Nahariya, Akko e Kfar Maccabi, em consulta com as autoridades de segurança locais.

As doações para esta causa são feitas por cristãos em dezenas de países, principalmente do Brasil, Canadá, China, República Tcheca, Fiji, Alemanha, Irlanda, Holanda, África do Sul, Suíça, Reino Unido e Estados Unidos.

Siga-nos

Mais do Guiame