MENU

Israel

Bíblia é devolvida a sobrevivente do Holocausto 80 anos após ter sido perdida

O Museu Memorial do Holocausto dos Estados Unidos ajudou a rastrear os descendentes da família Leiter para devolver a Bíblia a eles.

Fonte: Guiame, com informações do Times of IsraelAtualizado: sexta-feira, 27 de agosto de 2021 17:45
Jacob Leiter e Susi Kasper Leiter agora podem percorrer as páginas da Bíblia da família. (Foto: Jacob Leiter / Cortesia)
Jacob Leiter e Susi Kasper Leiter agora podem percorrer as páginas da Bíblia da família. (Foto: Jacob Leiter / Cortesia)

Depois de quase 80 anos, uma Bíblia hebraica escondida por uma família judia alemã que morreu no Holocausto foi devolvida aos seus descendentes em Nova York.

Asssim, a sobrevivente do Holocausto Susi Kasper Leiter e seu neto Jacob Leiter puderam se reencontrar com a Bíblia de 1.874.

O último dia 22 de agosto marcou 79 anos desde que os proprietários originais da Bíblia, Eduard e Ernestine Leiter, foram deportados da Alemanha para Theresienstadt, deixando para trás a Bíblia, de acordo com Jo-Ellyn Decker, bibliotecária pesquisadora e de referência para o sobrevivente do Holocausto e vítimas do Holocaust Memorial Museum dos EUA.

A família Leiter era originalmente de Stuttgart, mas foi forçada pelas autoridades alemãs a se mudar para uma casa em Oberdorf junto com outras sete famílias judias. Em 22 de agosto de 1942, as famílias foram todas enviadas para Theresienstadt.

“Eles devem ter pensado em esconder seus poucos e preciosos pertences na esperança de voltar para buscá-los, mas nunca mais voltaram”, disse Decker.

Algumas semanas depois, em setembro de 1942, os Leiters teriam sido deportados do Gueto de Theresienstadt para Treblinka, onde foram mortos durante os horrores do Holocausto.

De acordo com o museu, a Bíblia foi encontrada em 1990 em um sótão de uma velha casa em Oberdorf durante uma reforma. A família que comprou a casa encontrou a Bíblia atrás de uma parede dupla, junto com outros itens pessoais pertencentes aos Leiters.

Por anos eles carregaram a Bíblia por Leipzig, Kassel, Göttingen, Hanover, Rottweil e Pinneberg, e tinham a intenção de restaurá-la, disse o museu.

Em 2017, a família vendeu a Bíblia para o historiador de arte alemão Gerhard Roese.

Roese, percebendo o significado da Bíblia, criou um projeto fotográfico em torno dela. Mais tarde, ele o colocou em exibição em uma sinagoga local em Oberdorf.

A sinagoga fica a apenas algumas centenas de metros da casa que abrigou a Bíblia por décadas.

Família rastreada

Recentemente, o Museu Memorial do Holocausto dos Estados Unidos ajudou a rastrear os descendentes de Leiters a pedido de Roese, para devolver a Bíblia a eles.

Um representante viajou com a Bíblia da Alemanha aos Estados Unidos em junho para entregá-la pessoalmente a Susi Kasper Leiter e Jacob Leiter.

“Vinte e oito membros da minha própria família tragicamente não sobreviveram ao Holocausto”, disse Susi Kasper Leiter.

"Então, quando fomos notificados sobre a descoberta e a sobrevivência desta Bíblia, percebi que milagres podem acontecer. É uma nova conexão para meus filhos e netos, com a família Leiter cujo nome eles levam. Estou tomada por emoções e memórias e, ao mesmo tempo, muito grata por testemunhar isso”, disse ela.

“Não há palavras para descrever a bondade, paciência e carinho das pessoas maravilhosas envolvidas na Alemanha para garantir que a Bíblia fosse devolvida a seus legítimos proprietários”, acrescentou Susi Kasper Leiter.

Susi Kasper Leiter, atualmente morando na cidade de Nova York, sobreviveu ao Holocausto como uma criança refugiada que veio para os Estados Unidos. Ela se casou com Max Leiter e o casal teve dois filhos, Richard e Steve; e três netos: Alexandra, Samantha e Jacob.

Max Leiter é neto dos proprietários originais da Bíblia, Eduard e Ernestine Leiter. Ele morreu em 2008.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame