Transição de gênero em garoto de 7 anos está sendo investigada, diz governador do Texas

Greg Abbot atendeu ao apelo de cerca de 250 mil pessoas que rapidamente se uniram para pedir sua intervenção no caso do jovem James Younger.

Fonte: Guiame, com informações do LifeSiteNewsAtualizado: quinta-feira, 24 de outubro de 2019 15:20
Jeffrey Younger (direita) perdeu a guarda de seu filho, James e agora não pode mais ver o garoto, a não ser que o trate como uma menina. (Foto: Fox 7 Austin)
Jeffrey Younger (direita) perdeu a guarda de seu filho, James e agora não pode mais ver o garoto, a não ser que o trate como uma menina. (Foto: Fox 7 Austin)

Enquanto os EUA assistem horrorizados a batalha legal de um pai do Texas para impedir que sua ex-esposa "transforme" seu filho de sete anos em uma menina, um coro crescente de americanos exige que líderes estaduais e federais intervenham para salvar James Younger.

Na última segunda-feira (21), um júri de Dallas decidiu por 11 votos a 1 contra o pai Jeffrey Younger em sua luta contra sua ex-esposa, Anna Georgulas, que quer submeter o jovem James, de apenas 7 anos de idade a um "tratamento" com bloqueadores de puberdade e hormônios sexuais, além de forçar legalmente o pai do garoto a tratá-lo como uma menina. Younger afirma que tudo isso está sendo realizado contra a vontade de seu filho.

O caso provocou intensa indignação nacional, mesmo quando a grande imprensa ignora a situação, com especialistas alertando que a decisão não apenas está afirmando a confusão de gênero de uma criança, psicologicamente prejudicial a longo prazo, mas também o tratamento com hormônios de mudança de sexo acarretam riscos físicos sérios, incluindo infertilidade, câncer, disfunção sexual na vida adulta e expectativa de vida reduzida.

Até o momento da publicação desta notícia, cerca de 222.000 pessoas (com o objetivo de chegar a 300 mil) já haviam assinado em pouco mais de um dia, uma petição criada no site 'Change.org', que pede a intervenção do governador republicano do Texas, Greg Abbott e dos legisladores estaduais sobre a decisão judicial. O site americano conservador 'LifeSiteNews' também lançou sua própria petição pedindo apoio ao pequeno James e seu pai, que serão entregues ao governador e ao próprio Jeffrey Younger. A petição do LifeSite já coletou mais de 26.000 assinaturas até o momento.

"É prudente que os conservadores pressionem o governador do Texas, Greg Abbott e o vice-governador Dan Patrick a convocar uma sessão especial do legislativo e criminalizar todas as remoções não médicas da genitália masculina ou feminina", disse o editor sênior do site Conservative Review, Daniel Horowitz. "Outros estados onde os republicanos controlam o governo e a legislatura estadual devem ser incentivados a fazê-lo também. Além disso, os republicanos do Senado, que parecem não ter nada a ver com seu tempo, deveriam aprovar uma legislação que limita os tribunais federais de jurisdição para interferir nessas leis estaduais".

Vários comentaristas conservadores importantes também pediram que o governador Abbott e os legisladores estaduais e federais intervenham, bem como o presidente Donald Trump, para ajudar a chamar mais atenção para o caso:

"@GregAbbott_TX Há algo que vocês possam fazer por esse garoto? Ele será permanentemente mutilado e fisicamente destruído se alguém não intervir", alertou o escritor Matt Walsh.

O governador do Texas, Greg Abbott atendeu ao apelo dos cidadãos e envolveu o Estado no caso. Ele afirmou pelo Twitter na última quarta-feira (23), que o escritório do procurador-geral do Estado e o Departamento de Família e Serviços de Proteção do Texas vão abordar o assunto, que já está sendo "investigado".

"Para sua informação, o caso de James Younger, de 7 anos, está sendo investigado pela Procuradoria Geral do Texas e pelo Departamento de Serviços de Família e Proteção do Texas. #JamesYounger", assegurou o governador.

Repúdio

Muitos também se manifestaram de maneira mais geral para registrar seu desgosto com o caso e expressar apoio a James e seu pai.

"Isso é horrível e trágico. O fato de uma mãe submeter uma criança tão jovem a bloqueadores hormonais que alteram a vida, a transição médica de seu sexo não passa de abuso infantil", comentou o senador evangélico Ted Cruz. "Uma criança de 7 anos não tem maturidade para tomar decisões profundas como essa. O estado do Texas deve proteger o direito dessa criança de escolher - como uma pessoa madura e informada - e não permitir que ela seja usada como uma marionete pela agenda política partidária da esquerda. #ProtectJamesYounger".

"Este caso não se trata apenas de transgenerismo. É também de divórcio: o juiz do tribunal de família tem autoridade para conceder tudo o que a mãe solicitar", disse a fundadora e presidente do Instituto Ruth, Dra. Jennifer Roback Morse ao LifeSiteNews.

"O caso também é sobre reprodução de terceiros", continuou ela. "A lei atual permite a separação da maternidade genética da maternidade gestacional da maternidade legal da maternidade que cuida. O melhor interesse dessa criança, de qualquer criança, é que todos esses aspectos da maternidade se unam em uma pessoa, a única mãe".

Ela também alertou que "as pessoas determinadas a terem um filho a todo custo às vezes desenvolvem (ou já têm) problemas sérios de controle e que "se metade do que o Sr. Younger relata em seu site Save James, for verdade, a mãe do pequeno James, sra. Georgulas tem sérios problemas de autocontrole".

"E, claro, o caso também é sobre a ideologia de gênero", disse Morse. "Praticamente sem padrões clínicos, os adultos estão tomando decisões irrevogáveis ​​sobre crianças pequenas. O corpo deste menino é perfeitamente saudável. O sexo do seu corpo não está 'errado' e não precisa ser alterado cirúrgica ou quimicamente. Peço a todas as pessoas de boa vontade, incluindo o governador do Texas e o presidente dos Estados Unidos, que se manifestem contra isso".

Siga-nos

Mais do Guiame