Mente pode influenciar na resposta de gravidez

Mente pode influenciar na resposta de gravidez

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:31

Quando um casal busca a gravidez e não consegue aumentar a família espontaneamente, cogita, quase que automaticamente, tratamentos de reprodução assistida. No entanto, fatores físicos nem sempre são os causadores da infertilidade. Os fatores emocionais também podem interferir neste processo. A mente humana não pode ser deixada para segundo plano.

Aspectos psicológicos, associados ou não aos físicos disfuncionais, podem influenciar na resposta de gravidez segundo a Luciana Leis, psicóloga da Clínica Gera, especializada no tratamento de casais com problemas de fertilidade. A especialista enumera os problemas que se evidenciam com mais freqüência:

•Ambigüidade frente à maternidade: Muitas mulheres acreditam que por alcançarem certa idade devem iniciar a busca pelo filho; entretanto, algumas ainda não se sentem preparadas para isso. Às vezes, têm a maternidade tão idealizada que fica difícil atingi-la, pois nunca se sentem suficientemente boas para exercê-la.

•Ambigüidade frente à paternidade: Assim como as mulheres, os homens também podem apresentar dificuldades em assumir uma criança, seja por questões relacionadas à idealização desse papel, seja por receio de não conseguir sustentar uma família.

•Dificuldade em assumir o papel de mãe: Há mulheres que buscam a maternidade, mas ainda são bastante dependentes dos pais, havendo dificuldade de saírem do papel de "filhas" para assumirem o de mãe.

•Falta de espaço para a criança: Existem pessoas que decidem engravidar, porém não estão dispostas a abrir mão de nenhuma atividade que realizam para incluir a criança em suas vidas.

•Rivalidade com terceiros: Há mulheres que passam a desejar um filho justamente no momento em que a irmã, a cunhada ou outra pessoa próxima engravida, sem nunca terem sentido tal desejo até então. Nesses casos, há de se pensar o quanto realmente esse desejo foi despertado em função da proximidade emocional com essa pessoa ou se há algum sentimento de disputa em relação a ela.

•Desencontro de desejo do casal quanto ao momento de ter um filho: É possível que um dos parceiros ainda não esteja certo de que aquele seja o melhor momento para assumir uma criança. Na maioria das vezes, essa situação gera ressentimento no outro cônjuge, que acredita que ambos precisam estar alinhados quanto ao desejo de ter um filho. Essa é uma questão bastante complexa, pois o desejo de maternidade ou paternidade pode surgir em diferentes momentos para as pessoas, e isso não significa falta de amor ou de sintonia entre o casal.

Dica da especialista:"É importante destacar que cada casal tem uma história que deve ser considerada, para assim serem identificados os conteúdos emocionais existentes, passíveis de serem trabalhados e então auxiliar na resposta de gravidez e na diminuição da ansiedade."

Siga-nos

Mais do Guiame