Em casa, mulheres compram, vendem e lucram

Em casa, mulheres compram, vendem e lucram

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:26

Quem consegue resistir a uma olhadinha numa revista que oferece produtos de beleza, roupas, bijuterias e até produtos para o lar? Elas estão em quase toda parte: no trabalho, no salão de beleza, na casa da vizinha, com uma amiga, na escola. Mas é justamente esse mundo bastante familiar e muito feminino que movimentou no ano passado quase 2,4 milhões de pessoas que faturaram R$ 5,5 bilhões.

As empresas que estão nesse segmento - Natura, Avon e Jequiti, entre outras - só têm a comemorar. Faturaram, no conjunto, R$ 21,8 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira de Vendas Diretas (Abevd).

Pesquisa do Ibope mostra que 13% das mulheres compram por catálogos (revistas), enquanto apenas 6% compram pela internet. "Na venda direta há um sentimento de confiança. É um diferencial em relação à internet, por exemplo, em que não há contato pessoal", explica o presidente da Abevd, Lírio Cipriani.

A universitária Lorena Karoline Martins, 21, não resiste à revista da Avon que as amigas lhe mostram quando chega na faculdade. "Compro demais, em torno de R$ 60 por mês. Aproveito promoções para fazer estoque de coisas que uso sempre, experimento as novidades ou simplesmente encomendo algum produto que eu tinha em casa e já acabou", conta.

Segundo Lorena, as revendedoras não precisam insistir. "Peço para ver as revistas porque gosto. É muito mais fácil que ir em lojas ou encomendar pela internet", argumenta.

Amigas. A manicure Maria Rita da Silva, 56, que trabalha em casa, vende Natura há 15 anos para vizinhas, amigas e clientes. Ela entrou no negócio incentivada por uma amiga e não parou mais. Hoje, uma de suas principais clientes é a vizinha e amiga Vera Lúcia da Costa Santos, 59. "Ela me grita pela janela avisando que os produtos chegaram. Aí eu vou buscar", diz Vera. E Maria Rita completa: "Vera não fica sem os sabonetes da Natura".

Estoque ajuda na compra do presente de última hora

No salão de beleza Francis Cabelereiros, de Francisca dos Santos, a Francis, há produtos Natura, Avon e Aneto, uma linha de xampu e cremes para os cabelos. Além de vender por encomendas nas revistas, ela tem sempre um estoque disponível nas prateleiras, para aquele presente de última hora.

"Consigo uns R$ 300 por mês só com as vendas das revistas, mas isso varia conforme a época. É no Natal que vendo mais", observa.

E ela não precisa insistir para vender. As freguesas conversam entre si sobre os produtos e pedem para ver as revistas. Para o gerente geral da Natura, Luis Bueno, é justamente essa espontaneidade que incentiva as vendas. "Foi em 1974 que optamos pelo sistema de venda direta. Acreditamos na força das relações.Temos mais de 1 milhão de consultoras, 875 mil no Brasil e 160 mil no exterior". (JH)

por Janine Horta

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame