A força do novo ecumenismo

Jesus não forma ligações institucionais, ele forma ligações dentro do Seu Corpo, esteja ele onde estiver.

Fonte: Guiame, Ubirajara CrespoAtualizado: segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018 15:06
Grupos maiores oferecem uma marca supervisionada e engolem grupos menores, que apresentam um novo logotipo, novas cores e uma mesma técnica litúrgica. (Imagem: outlookafghanistan.net)
Grupos maiores oferecem uma marca supervisionada e engolem grupos menores, que apresentam um novo logotipo, novas cores e uma mesma técnica litúrgica. (Imagem: outlookafghanistan.net)

O ecumenismo prega uma unidade entre instituições religiosas, como se fossem elas as representantes de Deus. Se o fosse não discordariam em nada. Jesus prega uma ligação entre pessoas.

O catolicismo é extremamente institucionalizado. Tudo gira em torno de Roma, onde está, para eles o representante de Cristo.

Este tipo de religiosidade já invadiu algumas Igrejas evangélicas, colocando, em cada uma delas, o seu papa. É possível, que se fizessemos uma contagem de quantos papas foram criados pelo Gueto Evangélico durante o ano ano passado, o seu número ultrapassaria, em muito, ao número de todos os papas já existentes na Igreja Católica.

Só lhes damos nomes diferentes, mas a centralização é praticamente a mesma. São os famosos empresários religiosos, donos de Instituições cuja finalidade é comercializar um produto ao qual chamam de Jesus Cristo.

Seus membros não estão ligados espiritualmente, e o método mais utilizado para o seu crescimento é a fagocitose. Grupos maiores, oferecem uma marca supervisionada e engolem grupos menores, que apresentam um novo logotipo, novas cores e uma mesma técnica litúrgica.

Acontece, por exemplo, que o Itaú engoliu o Unibanco. As pessoas, que ali trabalham, porém não estão ligadas entre si, não de coração, mas apenas funcionalmente. O seu compromisso é apenas com a instituição e não espiritual.

Jesus não forma ligações institucionais, ele forma ligações dentro do seu Corpo, esteja ele onde estiver. Um membro diretamente com outro e não via denominava. Há um só mediador entre Deus e o homem: Jesus.

A Igreja forma um organismo vivo, que necessita de papel, impressora e contrato civil. No entanto também não deve, necessariamente dispensar o registro no Cartório.

A institucionalização da Igreja pode fagocitar nossa individualidade, controlat, subjugar, programar mentes. É o chamado pensamento coletivo. Cria autômatos com a mesma cara, voz, gestos e objetivos. Isto rouba a nossa individualidade. Este é o tipo de mundo que o Anticristo deseja construir.

Apocalipse 13 e 14 mostra isso.

*O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame