Decisões difíceis

O que mata não é a lei, mas a sua aplicação sem longanimidade, a punição sem misericórdia, o seu uso vingativo e assassino

Fonte: guiame.com.brAtualizado: quarta-feira, 1 de outubro de 2014 13:52
decisão
decisão

decisãoVersículo do dia.

Decisões difíceis.

Um exemplo disto é quando a opção for defender a verdade, mesmo que isto signifique sacrificar a unidade, ou manter a paz mesmo para isto tenhamos de ceder pontos importantes da doutrina?

A manutenção da paz e do amor são componentes importantes da fé cristã, mas o amor e a fidelidade a DEUS ocupam o topo da hierarquia dos mandamentos.

Mateus: 22.36. Mestre, qual é o grande mandamento na lei? Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.

Nossa tendencia é procurar pelo ponto de equilíbrio, por uma possível negociação e pela adaptação de um mandamento ao outro. Precisamos ceder para avançar?

Como ver isto à luz do texto a seguir? "Respondeu Jesus: Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho" (Mc 10.29).

Por outro lado devemos levar em consideração que, "se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, não pode amar a Deus, a quem não viu" (1Jo 4.20).

A verdade e o amor não podem se contrapor, pois a obediência ao mandamento cai bem quando conquistada e não imposta. Ao cobrar atitudes ou confrontar alguém com a lei, devemos ser movidos pelo amor.

O que mata não é a lei, mas a sua aplicação sem longanimidade, a punição sem misericórdia, o seu uso vingativo e assassino.


- Ubirajara Crespo

 

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame