Quanto de gentileza é necessário para deixar o mundo melhor?

Uma vez perguntaram o que acontece quando as pessoas boas sofrem. E a resposta é que elas se tornam melhores.

Fonte: Guiame, Saulo PortoAtualizado: quinta-feira, 22 de julho de 2021 15:04
(Foto: Freepik)
(Foto: Freepik)

Não importa, ser gentil é ouro em dias adversos. A gentileza demonstra uma força que poucas pessoas têm, a serenidade. Não é fácil permanecer tranquilo quando o barco está à deriva, quando perdemos o senso de direção, do tempo e do futuro. Mas é muito pior, quando os sobreviventes deste barco decidem agredir uns aos outros como se o sol ou o sal não fossem naturalmente devastadores.

É neste contexto que a gentileza pode salvar uma vida. Às vezes, em nome da sinceridade, jogamos sal nas feridas alheias. Mas em nome da humanidade, podemos trazer bálsamo às feridas abertas que sangram. Isto é gentileza. É ser cura, e não doença. É ser resposta e não problema.

Para que ser gentil em mundo tão bruto como este? Uma vez perguntaram o que acontece quando as pessoas boas sofrem. E a resposta é que elas se tornam melhores. 

Ser gentil não é um trator que se empurra, mas é um frasco de perfume sem tampa, que só por estar aberto torna o mundo mais perfumado.

Ser gentil é a dádiva inesperada que ganha aquele que a recebe, mas principalmente, ganha mais aquele que a tem. A gentileza para com o bruto, para com o ansioso, para com o perdido é a mesma que faz aquietar rápido o próprio coração. 

A gentileza é paz que excede entendimento, interna e inalienável, saindo em forma de música através dos pequenos gestos humanos. Enquanto houver gentileza, há esperança para nós todos neste barco, que parece estar à deriva, mas que um dia encontrará terra firme.

Seja gentil. Seja cura. Seja resposta. 

Por Saulo Porto, teólogo e pastor, missionário da Missão Mãos Estendidas em Portugal e África, professor de Cosmovisão Bíblica na Jocum e estudante de Psicologia na Universidade do Algarve. Casado com Juliana, com quem tem duas filhas, Alice e Nadine.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: O Deus presente: não deixe o seu coração se enganar com rituais

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame