Até que os cordeiros virem leões

Até que os cordeiros virem leões

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:24

"Eis que o povo se levanta como leoa, e se ergue como leão; não se deitará, até que devore a presa..." (Nm 23: 24a)

"Mas o meu justo viverá da fé; e se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele" (Hb 10: 38)

Neste último final de semana tive o privilégio de sair com meu marido para namorarmos um pouco. Aproveitamos para almoçar juntos e irmos ao cinema, com direito a pipoca e coca-cola.

Escolhemos assistir a estréia de "Robin Hood", de Ridley Scott. Filme estrelado pelo ator neozelandês Russel Crowe.

A história não é nova. Já havia sido filmada inúmeras vezes. Um filme de ação, cujo herói luta (literalmente) por seus ideais de igualdade de direitos entre o povo e a coroa, mas que também é patriota o bastante para defendê-la de uma invasão francesa.

Mas, o que me chamou a atenção nesse filme, e que o diferenciou dos demais, foram os princípios embutidos em seu roteiro. Fugindo do antigo clichê de "roubar dos ricos para dar aos pobres", o autor foi muito mais além, enfatizando a idéia do "jamais desistir".

Uma frase emblemática dá o tom do filme: "Lutar, lutar, até que os cordeiros virem leões" . Mais do que frase de efeito, nela estão incutidos princípios que o nosso Deus nos ensina, desde Gênesis até o Apocalipse: Não desistir de lutar, mesmo que pareça impossível, pois "se recuarmos, Sua alma não terá prazer em nós" (Hb 10: 38).  

Jesus Cristo disse: "E sereis aborrecidos por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até o fim, esse será salvo" (Mc 13: 13). O Senhor nos encoraja a superar as perseguições, frustrações e traições por amor a Ele, pois haverá uma recompensa de glória.

Quando Paulo descreve no livro de Efésios 6: 14 a 17 a armadura de Deus, que nós, crentes nascidos de novo, precisamos vestir para que possamos resistir no dia mau, não está falando apenas de modo metafórico. Cada um dos itens que a compõe, além de possuir um significado espiritual, é eficaz para lutarmos e vencermos as adversidades.  

Aqueles que desistem no meio da jornada não somente perdem a recompensa final, ou seja, a coroa da justiça, mas o prazer de ver Jesus operando em suas vidas. A palavra nos declara: "Se creres, verás a glória de Deus" (Mc 11: 40). Muitos querem inverter este princípio, insistindo em "ver para crer" . O Senhor não modificará Sua Palavra porque alguns dizem ter pouca fé. Ele mesmo nos declara: "De sorte que a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus" (Rm 10: 17). Quanto mais conhecemos Sua Palavra mais fé adquirimos para ver Deus agindo em nosso favor, e também para "fazermos as mesmas obras que Jesus fazia, e ainda maiores" (Jo 14: 12).

Outro exemplo de perseverança que encontramos na Bíblia e que nos motiva a lutar, sem jamais desistir é a luta de Jacó com o anjo, no vau de Jaboque. Jacó estava receoso do reencontro com seu irmão Esaú, após anos de fuga devido a ter tomado deste a bênção da primogenitura.

Ele já havia planejado enviar presentes adiante dele a fim de aplacar a ira do irmão; mas para ele, isso apenas não seria suficiente. Ele precisava da bênção do Senhor para ser bem-sucedido:

"Jacó, porém, ficou só; e lutou com ele um varão, até que a alva subia [...] E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Porém ele disse: Não te deixarei ir, se me não abençoares [...] E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel, porque dizia: Tenho visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva" (Gn 32: 24, 26 e 30).

Jacó saiu dali com a sua bênção, e reconheceu que sua perseverança fez com que alcançasse a salvação (v. 30).

Por mais impossível que possa parecer, precisamos "lutar até que os cordeiros virem leões" . Jesus disse que "tudo é possível ao que crê" (Mc 9: 23).

Não podemos desistir. Há uma promessa de Deus para a nossa fé e perseverança. O Senhor tem prazer em responder com bênçãos àqueles que Nele confiam:

"Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor" (1 Co 15: 58).

Mônica Valentim

Mônica Valentim   é pedagoga, com expecialização em Orientação Educacional e Profissional; pós- graduada em Psicomotricidade. Possui especialização em Modificabilidade Cognitiva PEI- Nível I, Jerusalém, Israel. Bacharelanda em Teologia.  

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame