O perigo de saciar a fome por respostas no lugar errado

O engano só existe porque juntamos a nossa fome de Deus e a suprimos em lugares errados.

Fonte: Guiame, Melina BotteghinAtualizado: quarta-feira, 16 de março de 2022 16:35
(Foto: Unsplash)
(Foto: Unsplash)

"Quando tudo diz que não... Tua voz me encoraja a prosseguir..."

(Toque No Altar - Deus do Impossível)

Você já teve muita vontade de comer alguma coisa? Eu normalmente tenho uma alimentação saudável, mas houve um dia na minha vida que nada me soava melhor do que um hambúrguer caprichado de uma rede americana de fast-food. Eu estava com fome e há horas sem comer.

Naquele dia em específico eu havia assistido a uma partida de futebol e saí do jogo com uma lombriga comendo a outra. Quando eu cheguei no tal restaurante, a fila de carros para o “take away” estava dobrando o quarteirão. Dei uma boa olhada para dentro da loja e não estava muito diferente.

Eu tinha duas opções. Ou enfrentava a fila quilométrica, ou ia na loja de conveniências do posto de gasolina que ficava ao lado e estava vazio, claro! Não tinha o meu hambúrguer, mas tinha qualquer coisa que pudesse aplacar a minha fome. Como a vontade de comer o tal hambúrguer era enorme, eu enfrentei a fila e depois de 46 minutos, 7 segundos e 3 milésimos (rs) eu consegui meu lanche.

Aonde eu quero chegar com isso?

Em duas lições, na verdade.

Eu saí de casa pensando no hambúrguer, saí do jogo pensando no hambúrguer, entrei no carro a caminho do hambúrguer, mas a minha fome era tanta e o tempo de espera tão longo que em certo momento meu foco quase foi desviado. Eu estava aceitando qualquer coisa que me oferecessem.

A primeira coisa que eu aprendi foi diante da minha própria dúvida sobre o que fazer.

Quantas vezes não fazemos isso? Temos fome de uma resposta de Deus… Mas aceitamos qualquer coisa no meio do caminho porque a resposta demora demais? Ou aceitamos aquilo que queremos ouvir ou não o que Deus quer falar?

“E numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos.” (Mateus 24:11)

O engano só existe porque juntamos a nossa fome de Deus e a suprimos em lugares errados. Está com dúvida? Abra a Bíblia… É muito difícil que se enganem aqueles que suprem sua fome onde deveriam.

A segunda grande lição que minha cruzada pelo hambúrguer me ensinou é que não existem obstáculos grandes ou pequenos, existem motivações fortes ou não. Se a sua motivação for grande, não existe tempo, espaço, impedimento grande o suficiente ou forte o suficiente para te parar.

Zaqueu era um homem de baixa estatura, publicano, mas ele tinha uma grande motivação.

Ele queria ver Jesus!

"Havia ali um homem rico chamado Zaqueu, chefe dos publicanos. Ele queria ver quem era Jesus, mas, sendo de pequena estatura, não o conseguia, por causa da multidão". (Lucas 19:2-3)

Aí no meio do caminho… Apareceu o que poderia ser mais uma desculpa para não conseguir chegar até o mestre. Uma figueira brava (uma árvore sem frutos e espinhosa).

"Assim, correu adiante e subiu numa figueira brava para vê-lo, pois Jesus ia passar por ali". (Lucas 19:4)

Quando nossa motivação é pequena, tudo vira impedimento. Ele era baixo, havia um monte de gente cercando Jesus e, para ajudar mais um pouco na sua lista de desculpas, havia uma árvore cheia de espinhos no meio do caminho.

Ou ele usava a figueira como impedimento ou usava como degrau.

Sua motivação determina o seu resultado.

E aquela árvore aparentemente sem frutos, frutificou na vida de Zaqueu.

"Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e lhe disse: "Zaqueu, desça depressa. Quero ficar em sua casa hoje". (Lucas 19:5)

Que lindo! Quando queremos ver Jesus de verdade, nossa motivação em conhecê-lo é grande e verdadeira. É quando não vemos obstáculos, mas construímos degraus. Fazemos limonada com os limões que a vida nos dá e servimos a mesa, para comungarmos com Deus. Ele se revela a nós, entra na nossa casa, na nossa intimidade e muda o nosso coração verdadeiramente.

Não desista! Prossiga em fé.

A recompensa vem para aqueles que perseveram.

Por Melina Botteghin, estudante de teologia, esposa, mãe, missionária por vocação e publicitária de formação.

* O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: A origem dos defeitos: por que é tão difícil ser transformado?

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições