A identidade da Noiva de Apocalipse

Entendemos que este livro que será aberto é o livro que está ligado à identidade da Noiva do Cordeiro. Mas, perguntamos, quem é a Noiva do Cordeiro?

Fonte: Guiame, Mário MorenoAtualizado: segunda-feira, 26 de julho de 2021 18:19
(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Então vi na mão direita daquele que está assentado no trono um livro em forma de rolo escrito de ambos os lados e selado com sete selos. Vi um anjo poderoso, proclamando em alta voz: "Quem é digno de romper os selos e de abrir o livro?" Mas não havia ninguém, nem no céu nem na terra nem debaixo da terra, que podia abrir o livro, ou sequer olhar para ele. Eu chorava muito, porque não se encontrou ninguém que fosse digno de abrir o livro e de olhar para ele. 

Então um dos anciãos me disse: "Não chore! Eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir o livro e os seus sete selos". Então vi um Cordeiro, que parecia ter estado morto, de pé, no centro do trono, cercado pelos quatro seres viventes e pelos anciãos. Ele tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus enviados a toda a terra.

Ele se aproximou e recebeu o livro da mão direita daquele que estava assentado no trono.

Ao recebê-lo, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro. Cada um deles tinha uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos; e eles cantavam um cântico novo: 

"Tu és digno de receber o livro e de abrir os seus selos, pois foste morto, e com teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, língua, povo e nação. Tu os constituíste reino e sacerdotes para o nosso Deus, e eles reinarão sobre a terra".

Então olhei e ouvi a voz de muitos anjos, milhares de milhares e milhões de milhões. Eles rodeavam o trono, bem como os seres viventes e os anciãos, e cantavam em alta voz: "Digno é o Cordeiro que foi morto de receber poder, riqueza, sabedoria, força, honra, glória e louvor!"

Depois ouvi todas as criaturas existentes no céu, na terra, debaixo da terra e no mar, e tudo o que neles há, que diziam: "Àquele que está assentado no trono e ao Cordeiro sejam o louvor, a honra, a glória e o poder, para todo o sempre!" Os quatro seres viventes disseram: "Amém", e os anciãos prostraram-se e o adoraram. (Apocalipse 5:1-14)

Sefer Katub (ספר כתוב) Livro do contrato nupcial – A Palavra “Ketub” está associada à “escrever, registrar, alistar”; porém em sua raiz temos o termo “ketubá” é o contrato matrimonial judaico, que tem sido parte integrante dos casamentos por aproximadamente dois milênios. Tradicionalmente, as Ketubot (plural de Ketubá) são escritas em aramaico – o idioma utilizado pelos judeus durante o período do exílio babilônico e mais tarde quando eles retornaram à terra de Israel – e definem as responsabilidades matrimoniais. Há também versões em hebraico, que podem ainda ser acompanhadas por texto em português.

O que podemos dizer disso?

Entendemos que este livro que será aberto é o livro que está ligado à identidade da Noiva do Cordeiro. Mas, perguntamos, quem é a Noiva do Cordeiro?

A Noiva é ISRAEL, a nação que gerou o Noivo e que espera ansiosamente que Ele venha para desposá-la! “Porque, como o mancebo se casa com a donzela, assim teus filhos se casarão contigo: e, como o noivo se alegra da noiva, assim se alegrará de ti o teu Elohim” Is 62.5. A literatura judaica está repleta de alusões a Israel como “A Noiva” do Eterno e a Bíblia também aponta para isso. Nós entendemos que existe um povo que faz parte da Noiva – foi “enxertado” ali – e que também fará parte deste grande evento. O povo a que me refiro são os justos que creem em Ieshua e que foram conectados a Israel – a oliveira – conforme Sha’ul nos ensina em Romanos capítulo 11.

Já o capítulo 6 de Apocalipse nos mostra uma “transição” entre a abertura deste livro e a manifestação dos quatro cavaleiros. O que acontece para transicionar estes eventos é o arrebatamento, que dará início à grande tribulação, que curiosamente durará sete anos – o casamento judaico dura sete dias!

É preciso considerar que o livro de Apocalipse é cronológico pois apresenta os fatos que ocorrerão de um ponto de vista celestial, pois Iochanan – João – foi levado à eternidade e dali viu os fatos acontecendo um após o outro, ou seja, numa ordem cronológica.

Este evento – o arrebatamento – é somente para aqueles que fizeram um “contrato de casamento” com o Eterno através de seu Filho Ieshua.

Mas, a quem foi destinado este contrato?

A Escritura nos responde dizendo: “Porque isto é bom e agradável diante de Elohim, nosso Salvador, que quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade” (I Tm 2.3,4).

Porém quem fará uso deste privilégio?

“Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Elohim: aos que crêem no seu nome” (Jo 1.12).

E os filhos são aqueles que foram gerados por Ieshua e também – de tabela – se tornaram parte da Noiva, que estão ligados a Israel.

“Dirás, pois: Os ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado. Está bem: pela sua incredulidade foram quebrados, e tu estás em pé pela fé: então, não te ensoberbeças, mas teme. Porque, se Elohim não poupou os ramos naturais, olha que porventura não te poupe a ti também. Considera, pois, a bondade e a severidade de Elohim: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado. E também eles, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; porque poderoso é Elohim para os tornar a enxertar. Porque, se tu foste cortado do natural zambujeiro e, contra a natureza, enxertado na boa oliveira, quanto mais esses, que são naturais, serão enxertados na sua própria oliveira! Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não sejais sábios em vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado” (Rm 11.20-25).

Estas são questões importantes e que merecem nossa atenção e também muito cuidado, pois envolvem não somente a salvação de muitas vidas como também a expectativa que devemos ter pela vinda de Ieshua. Em nossos dias temos visto um aumento da incredulidade e também da negação do arrebatamento. Nas redes sociais a divulgação destes conceitos tem aumentado e feito com que pessoas sinceras percam sua esperança na vida de Ieshua por ouvirem palavras contrárias e que tiram a esperança dos mais fracos na fé.

O argumento dos incrédulos e daqueles que negam as Escrituras é: “Ele não veio em 2000 anos então não virá agora”. Para qualquer pessoa mais esclarecida o argumento é no mínimo idiota, pois esbarra com a soberania do Eterno em enviar Ieshua QUANDO ELE QUISER. Os sinais dos tempos avançam e nos dão “dicas” de quando isso poderá acontecer com a finalidade de ficarmos atentos, mas o momento exato do arrebatamento ninguém sabe. Por isso estar sempre preparado não é opcional; é nossa obrigação.

O que vem a seguir?

Sabemos que vivemos nos últimos dias e estes são dias difíceis conforme nos foi dito por Sha’ul: “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos; porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, temerários, inchados, mais amigos dos deleites do que amantes de Elohim, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.” (II Tm 3.1-5)

Parece que as palavras de Sha’ul foram escritas em nossos dias tamanha é a sua aplicação ao contexto em que vivemos! O que foi dito pelos homens de D-us nas Escrituras está se cumprindo dia após dia, então podemos dizer que muito em breve teremos surpresas que poderão mudar os destinos de toda a humanidade. Por isso cabe a cada um de nós olhar para entro de si e perguntar: “Estou pronto para o arrebatamento?” ou mesmo “Estou pronto para a morte?” 

Em ambos casos a resposta determinará o destino final de cada pessoa e por isso é muito importante que cuidemos de nossa vida espiritual, pois o período que estamos aqui é passageiro, mas vamos sair desta dimensão física para uma espiritual que será eterna. O que fazemos aqui determinará onde estaremos em nosso próximo passo rumo à eternidade. A escolha é pessoal e intransferível. Seja sábio em suas próximas escolhas no que tange à eternidade.

Baruch ha Shem!

Por Rav. Mário Moreno, fundador e líder do Ministério Profético Shema Israel e da Congregação Judaico Messiânica Shema Israel na cidade de Votorantim. Escritor, autor de diversas obras, tradutor da Brit Hadasha – Novo Testamento e conferencista atuando na área de Restauração da Noiva.

*O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Existem gentios no Reino de Deus?

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame