Por que eu?

Você se perguntou: Por que eu? Por que comigo? Por que agora? Por que aqui? O que eu fiz pra merecer isso? Eu já! Eu, com certeza, já! E você provavelmente também. Nem que pelo menos uma vez só na vida

Fonte: Guiame, Mariana MendesAtualizado: quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015 13:56
Dúvida_imagem ilustrativa
Dúvida_imagem ilustrativa

Você já pensou isso: Por que eu? Como quando alguém bateu no seu carro. Quando trombaram com você na rua, fazendo tudo que estava na sua mão cair. Quando você foi abordado por um ladrão. Quando se viu sem dinheiro pra comprar alguma coisa que precisava, ou pra pagar uma conta. Quando você ficou com uma doença rara. Quando perdeu tudo. Quando algum querido seu faleceu.

Toda vez que alguma coisa ruim aconteceu. Você se perguntou: Por que eu? Por que comigo? Por que agora? Por que aqui? O que eu fiz pra merecer isso? Eu já! Eu, com certeza, já! E você provavelmente também. Nem que pelo menos uma vez só na vida. A gente tende a achar que é azarado. Que se alguém está sofrendo, ahh! Esse alguém somos nós, a gente carrega a Lei de Murphy tatuada no destino, só pode!

Mas você já experimentou fazer a mesma pergunta, mas em outra situação: Por que eu? Como quando um carro quase te atropelou, mas você escapou por pouco. Quando seu filho de repente ficou bom da febre. Quando seu pai sobreviveu a um infarto. Quando você chega em casa e vê que tem onde morar. Quando você ganha um presente, ou uma promoção no trabalho, ou um prêmio. Quando você faz as pazes com aquele seu amigo. Quando descobre dinheiro esquecido no bolso da calça. Quando consegue pagar suas contas e comprar aquela coisa que precisava, ou talvez que apenas queria. Quando o dia é simplesmente e completamente feliz. Seja sincero, nessas ocasiões você pergunta: Por que eu? Por que comigo? Por que agora? Por que aqui? O que eu fiz pra merecer isso?

A gente tende a não perguntar. Temos certeza do nosso eu merecedor, do eu que pode, que deve, que precisa receber tudo do bom e do melhor. E vou dizer, é mesmo difícil essa natureza, de uma forma ou outra, fomos criados para a perfeição. Só que nossa história tem um porém gigante. Porém nós pecamos, porém nós escolhemos viver longe do plano de Deus. Claro, podemos nos arrepender e Ele é justo para nos perdoar, para nos salvar. Mas ainda sim, o que fizemos para merecer isso? Por que nós? Não dá pra explicar muito bem, apenas que: “Deus amou o mundo de tal maneira que nos deu filho unigênito para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha vida eterna.” O amor não tem explicação, ele não precisa de uma.

Tento, às vezes, praticar a pergunta do ‘Por que eu?’ em situações boas, em situações que não merecemos, mas Ele nos ama e nos oferece; admito que é uma prática difícil, mas temos que acordar nossa consciência, agradecer a Deus que nos dá tanto todo dia e perguntar mais: Por que eu? Talvez descubramos que é que nem o amor, não tem explicação, mas nem por isso devemos deixar de admirar e agradecer a Deus por cada detalhe e deixar de fazer essa pergunta quando algo ruim nos acontecer.

As escolhas têm consequências. Por que você? Por que eu? Porque sim!

 

.

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame