Falem bem ou falem mal... Não, pera!

Primeiro, quero ressaltar que esse texto é antes direcionado a mim mais do que a qualquer um.

Fonte: Guiame, Mariana MendesAtualizado: sexta-feira, 13 de outubro de 2017 15:22
Silêncio. (Foto: huffingtonpost.com)
Silêncio. (Foto: huffingtonpost.com)

Andando na rua esses dias, pós o horário de almoço da maioria das pessoas, passei por alguns grupos de pessoas, e notei uma coisa em comum: Todas as conversas giravam em torno de falar mal de alguém; não sei de quem falavam, mas todos falavam mal de um terceiro. Você já falou mal de alguém alguma vez na vida? Nenhuma vez? Sério? Ah, vai, falou sim. Às vezes falou e nem percebeu, mas o fato é que todo mundo já falou mal de alguém alguma vez.

Primeiro, quero ressaltar que esse texto é antes direcionado a mim mais do que a qualquer um. Me senti tão desconfortável em ouvir aquelas conversas e parei para pensar no tanto de vezes que reclamo de alguém, que não gosto de alguma atitude, que penso que deveriam ter feito de outra forma. E passamos tanto tempo pensando nisso e tanto tempo falando disso que perdemos e ocupamos um tempo que deveria ser precioso.

Por que ao sentarmos na mesa não compartilhamos nosso dia, não falamos sobre coisas que aprendemos, que refletimos, que pensamos, sobre nossos sentimentos, sobre o que tem dentro da gente, sobre planos, sonhos, objetivos? Por que ao invés disso gastamos tanto tempo criticando e falando mal de outras pessoas? Não estou aqui entrando no mérito de fulano ou ciclano serem bons e você estar errado na sua opinião ou seu juízo, essa não é nossa discussão. Mas por que raios gastamos tanto tempo pensando e falando sobre a vida dos outros?

Se começarmos a contar todas as conversas na nossa vida que giram em torno disso, vamos nos orgulhar? Será que vamos chegar a conclusão de que esse foi um tempo bem gasto? Vivemos em uma época que uma das frases mais usadas é: “Eu não tenho tempo”, existem variações, mas basicamente as pessoas gostam de reclamar de como falta tempo na vida! Agora, ao invés de reclamar da sua falta de tempo, você já parou para pensar na distribuição de tempo que tem sido feita na sua vida?

Existem sim pessoas legítimas, com muitos afazeres e pouco tempo. Talvez todos sejamos legítimos ocupados. Porém, como gastar nosso tempo é uma escolha pessoal. Já pensou se ao invés de pensar tanto sobre como alguma pessoa não foi legal, você fosse ler um livro? Já pensou se ao invés de reclamar sobre os outros em uma conversa, você aproveitasse para realmente estreitar laços com quem está te ouvindo?

O título do texto veio com metade de um ditado, que vou completar: “Falem bem ou falem mal, o importante é que falem de mim.” Sinceramente, você gostaria que estivessem gastando tempo falando mal de você? E você quer perder seu tempo falando mal dos outros? A vida tem coisas tão mais ricas, mais importantes, mais sensíveis, mais bonitas... Há tanto com o que gastar nosso tempo, há tanto que se praticar mais o amor, há tanto que se compartilhar mais gentileza... Então: Não, pera! Volte duas casas e vamos começar de novo!

 

*O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

 

 

Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame