O Dia da Expiação ou Yom Kipur dos Judeus

O Dia da Expiação ou Yom Kipur dos Judeus

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:25

No dia 8 de outubro os judeus comemoram o Dia da Expiação em Israel e é o primeiro neste novo ano judaico (5772).

Já o dia 28 de setembro foi o 1º dia do Ano Novo Judaico (5772), o Rosh Hashaná, também conhecido como festa das trombetas. De acordo com a tradição desse dia, Rosh Hashaná, que é o primeiro dia do sétimo mês, é também o dia em que DEUS é coroado como Rei de nossas vidas e da vida da nação.

Depois se seguem os 10 dias de arrependimento, sendo que o último dia é conhecido como Yom Kipur, o Dia do Perdão que será no dia 8 de outubro. A Festa dos Tabernáculos ou Festa da Colheita (sukk&Depois se seguem os 10 dias de arrependimento, sendo que o último dia é conhecido como Yom Kipur, o Dia do Perdão que será no dia 8 de outubro. A Festa dos Tabernáculos ou Festa da Colheita (sukk&&33;t ou sucot) vem a seguir, de 12 a 19 de outubro.

Vamos falar, em primeiro lugar, sobre os dez dias de arrependimento.

- Qual é a origem desses dez dias de arrependimento?

Em Levítico (Lev 23:24), encontramos uma ordem: “No sétimo mês, ao primeiro dia do mês, tereis descanso solene, um memorial ao som da trombeta, uma santa convocação”. O tocar da trombeta - shofar, que é um chifre de carneiro, na lua nova, que é a primeira do mês, é também chamado “o dia de nossa festa”. Entre o Rosh Hashaná, que é o primeiro dia do sétimo mês e o Dia da Expiação, Yom Kipur, que é o décimo dia do sétimo mês, há um período de dez dias dedicados ao arrependimento e perdão dos pecados de Israel, num nível coletivo-nacional. Deus concedeu um dia para expiação dos pecados da nação.

O bode expiatório que era enviado ao deserto era uma prefiguração do trabalho de Yeshua - Jesus, o Messias -, que morreu na cruz pelos pecados do mundo inteiro. Por causa da solenidade que traz esse dia, tornou-se tradição tomar dez dias entre os dois dias santos para a contemplação e o arrependimento.

Os judeus, de modo geral, levantam bem cedo, antes do nascer do sol, e recitam orações e cânticos de arrependimento que expressam a profunda tristeza que cada indivíduo e toda coletividade têm pela fraqueza e pelos pecados que cometeram.

Não há nenhuma outra nação que gaste dez dias meditando acerca da expiação e perdão dos pecados como a nação de Israel. Muitas pessoas permanecem na Sinagoga por dez horas, para orar e suplicar a Deus pelo perdão dos pecados.

Para o povo Cristão este era um ato profético que se cumpriu em Jesus Cristo quando morreu na cruz por nossos pecados. A morte de Jesus Cristo aconteceu em um Dia da Expiação e também no início do ano do Jubileu, aliás, o último que aconteceu antes da diáspora. Sendo assim, alguns estudiosos creem que Jesus veio oferecer o sacrifício perfeito para que tivéssemos um tempo de júbilo em toda a terra. Os judeus não entenderam isso, assim também como muitos cristãos não querem se deter muito nas tradições judaicas, o que acaba criando uma barreira entre os dois povos que um dia será um só, conforme disse Paulo aos Gálatas (Gal 3.28). Creio que podemos reter o que é bom e aproveitar as bênçãos de Cristo, pois tanto judeus como cristãos foram beneficiados com o sacrifício de Jesus no Dia da Expiação. Acompanhe este assunto que estaremos trazendo para edificar o Corpo de Cristo.

Em Cristo, Joel Engel

Evangelista, conferencista e pastor, Joel Engel nasceu em Cachoeira do Sul e ao longo da sua vida adquiriu uma grande experiência eclesiástica através da evangelização e de realização de palestras em todo o território nacional.

Sobre o ministério Engel:   www.joelengel.com.br

Siga-nos

Mais do Guiame