O Brasil está em crise, e agora?

As crianças de colo choram de fome, muitos morrem nas filas dos postos de saúde e hospitais, enquanto o governo gasta milhões para financiar o pecado.

Fonte: Guiame, Joel EngelAtualizado: quinta-feira, 23 de março de 2017 20:20
Miséria no Brasil. (Foto: Folha do Sudoeste)
Miséria no Brasil. (Foto: Folha do Sudoeste)

"Então disse o Senhor: Com efeito tenho visto a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheço os seus sofrimentos". Êxodo 3:7

Estamos vivendo dias de intensa busca ao Senhor no Sul do Brasil. Programamos um retiro no Monte da Adoração, em Faxinal do Soturno, com uma campanha de jejum e oração em favor das nossas famílias. Neste período Deus começou a soprar insistentemente em meus ouvidos espirituais: “Deixe meu povo ir! O clamor dos pobres e dos aflitos tem subido até o céu. Diga aos meus servos: Tire meu povo do Egito, salve esta geração que está sendo vendida como escrava da miséria, da fome e da ignorância”.


Reforma já!
A crise política, espiritual, moral e financeira tem levado o povo brasileiro à pior escravidão e miséria de todos os tempos. A podridão e corrupção dos líderes, especialmente nos altos escalões do governo e da Igreja, levaram o país ao caos e ao juízo de Deus contra nossa nação.

Quando os líderes políticos e religiosos tornam-se corruptos e se afastam de Deus, só resta ao povo clamar urgentemente por uma reforma em todos os níveis de liderança. Nas maiores crises, Deus sempre levantou novos líderes, profetas e juízes para fazer uma reforma na nação. É disso que o Brasil precisa hoje.

Quando o pobre ou as crianças choram de fome e tristeza, quando clamam a Deus, Ele desce à Terra para fazer juízo contra todos os opressores. Nossa oração é para que Adonai levante uma nova geração de líderes como Moisés, juízes como Samuel e profetas como Elias, para trazer de volta Sua benção para o nosso povo.


A maior crise da história bíblica
Quando os hebreus estavam escravizados no Egito e não aguentavam mais os açoites, eles começaram a clamar. Deus os ouviu e desceu para livrá-los daquele estado de miséria. Para cumprir essa missão, Deus levantou Moisés, homem santo, justo e reto perante o Senhor.

"Agora, pois, vem e eu te enviarei a Faraó, para que tireis do Egito o meu povo, os filhos de Israel".
Êxodo 3:10

Hoje a nossa nação está passando por uma situação semelhante, enfrentando crises nos níveis: moral, político, espiritual e financeiro.


Crise moral
Afetando desde os líderes religiosos até o povo comum, o pecado e a imoralidade tem levado muitos a um verdadeiro lamaçal. Seja nos púlpitos, nas casas por meio da TV e agora chegando às escolas por mieo da ideologia de gênero, que busca aliciar nossos filhos para cultuar a Baal.

Infelizmente estamos vendo algo como nos dias de Jesabel, quando seus falsos profetas aliciavam crianças para praticar a imoralidade sexual, pois o culto a Baal consistia em "atos de depravação sexual".


Crise política
Nossos políticos chegaram à pior degradação e ao nível mais baixo de corrupção. Hoje está sendo difícil encontrar um homem público digno, que não esteja envolvido em denúncias de roubo, mentiras, entre outras práticas terríveis.

Apesar de termos muitos políticos evangélicos, não vemos a diferença, pois a maioria é mais corrupta que os próprios mundanos. O sal deixou de salgar e a luz deixou de brilhar na escuridão. O Evangelho foi vendido clandestinamente nos púlpitos dos mercadores da fé.


Crise espiritual
A maioria dos que se dizem crentes já não sonham mais em ganhar almas, mas sim em conquistar dinheiro, fama e poder. Em vez de clamarem por milhões de almas, pregadores estão em busca dos milhões das almas. Palavras como oração, santidade, missões, céu e a volta de Jesus, estão cada vez mais raras em nossos púlpitos. A teologia da prosperidade transformou o Sangue de Jesus em cédulas de dinheiro para comprar bênçãos.

O pecado da simonia [compra ou venda ilícita de coisas espirituais] traz de volta as indulgências praticadas na era das trevas, tão condenadas pelos missionários que promoveram a reforma protestante. Vemos apóstolos, profetas e heróis da fé - que no passado trocavam os bens terrenos por uma morada celestial - hoje comprando grandes fazendas para construir seus 'Jardins do Éden'.

A igreja de Cristo que no Pentecoste falava a mesma língua celestial, hoje parece a Torre de Babel, onde cada um fala uma língua diferente, dividindo e enfraquecendo o Corpo de Cristo. É triste saber que grandes pregadores hoje estão envolvidos com prostituição, roubo, tráfico de armas, drogas, entre outros absurdos. Assim, almas estão sendo vendidas no mercado negro da corrupção, onde o diabo compra escravos por uma bagana de drogas.

"Pelo que alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Mas ai da terra e do mar! Porque o Diabo desceu a vós com grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta". Apocalipse 12:12


Crise financeira
Depois do escândalo denunciado na Operação Lava Jato, descobrimos que dezenas de bilhões de reais foram tirados de nossa nação para os bolsos de alguns. Com isso, a crise financeira atingiu o povo, que como sempre é quem paga a conta com seu suor e sacrifício. Sobrou até para os idosos, pois o governo Temer, que não teme a Deus, pensa em reforma da previdência, mexendo na aposentadoria e fazendo com que os idosos sejam punidos, enquanto os corruptos de seu governo levaram o dinheiro para paraísos fiscais.

A situação do país está assim: O pobre geme com os açoites, as crianças de colo choram de fome. Muitos morrem nas filas dos postos de saúde e hospitais, sem atendimento, enquanto o governo gasta milhões para financiar o pecado.

A crise financeira às igrejas
Assim como nos dias do profeta Joel, a crise chegou até os altares da Casa do Senhor. No capítulo 1, verso 9 vemos os sacerdotes chorando no Templo do Senhor por não terem mais ofertas de alimento, nem de vinho.


Apelo para oração
Talvez o Senhor, nosso Deus, mude de ideia e abençoe o seu povo, dando-lhe boas colheitas. Então vocês poderão apresentar a Deus ofertas de alimento e de vinho.

"E vocês, sacerdotes, que no pátio do Templo servem a Deus, o Senhor, chorem e façam esta oração: “Ó Deus, não castigues o teu povo! Não nos humilhes diante dos outros povos para que eles não caçoem de nós e perguntem: ‘Onde está o Deus de vocês?". ​Joel 2:14 e 17

Eu vejo o nosso povo enfrentando algo semelhante ao que aconteceu no Egito. Os hebreus estavam enfrentando a pior crise de sua existência, pois a escravidão é uma situação insuportável ao ser humano. Então Deus aparece à um pastor chamado Moisés que era um homem justo (tissadik) e o chama para o ministério. Deus deu à Moisés a tarefa de tirar seu povo daquela situação de miserabilidade em que se encontravam. Moisés cumpriu a tarefa e tirou o povo do Egito com as mãos cheias de riquesas. Nem uma unha ficou no Egito.

Hoje a nossa tarefa é a mesma de Moisés. Deus está falando conosco e nos dando um comando: Tire meu povo do Egito. Somente os servos de Deus podem mudar a situação do nosso país, começando pela oração e depois atitudes que leve à igreja à santidade e à uma nova mentalidade. Nestes dias estarei orientando nossos pastores como preparar seu povo para sair desta crise e levá-los à viver como príncipes em vitoria completa e vencer a crise nos quatro níveis.

Eu quero lançar uma campanha de oração desde hoje até à Páscoa e convidar os servos de Deus para orarmos pelo nosso povo. Que Deus faça conosco o que fez com Israel: Julgue os opressores e corruptos, salve os fracos e oprimidos e devolva a benção para nossa nação.

Amém!

 

*O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame