Perseguição ou comportamento errado?

Não poucos pedem orações nas igrejas porque perderam seu emprego por preconceito religioso do patrão, quando, na verdade, eram péssimos empregados.

Fonte: Guiame, Frank MedinaAtualizado: segunda-feira, 30 de novembro de 2020 16:00
(Foto: Bigstock)
(Foto: Bigstock)

"Não sofra, porém, nenhum de vós como assassino, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se intromete em negócios de outrem; mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com esse nome." (I Pedro 4.14-15)

É importante que façamos a distinção entre esses dois tipos de sofrimento. Não poucas vezes alguns cristãos se fazem de vítima dizendo que estão sofrendo perseguição ou discriminação por serem crentes, quando na verdade estão sofrendo por causa de seu comportamento errado.

Não poucos pedem orações nas igrejas porque perderam seu emprego por preconceito religioso do patrão, quando, na verdade, eram péssimos empregados. Ou se queixam de que são mal entendidos, quando na verdade são bisbilhoteiros e se intrometeram em coisas que não eram de sua conta.

Um cristão deveria se envergonhar profundamente de sofrer por cometer atos pecaminosos. Contudo, se ele sofrer por ser cristão genuíno, longe de envergonhar-se, ele deveria glorificar a Deus por isso.

Reflita sobre isso!!!

Deus te abençoe e a todos na sua família.

Um abraço do amigo e irmão em Cristo Jesus,

Pr. Frank Medina

Por Frank Medina, pastor consagrado, desde 2005, na Igreja Batista O Poder da Palavra, Bacharel em Teologia. Escritor de artigos cristãos/evangélicos desde 2001. Atualmente serve na Primeira Igreja Batista em Mogi das Cruzes (PIB Mogi).

*O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Eu escolho agradecer, e você?

Siga-nos

Mais do Guiame