Ah, o amor

Ah, o amor

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:07
amorA desilusão está estampada nos olhares. Vejo muita gente se esforçando para parecer que é feliz. São altas risadas, bicos, caras e bocas que se encaixam certinho no estilo facebook. Sim, porque no face 10 em cada 11 fotos são sobre o tema “nunca-estive-tão-feliz”, ainda que saibamos que não é bem assim.
 
As rotinas se empobreceram. Inclusive no seio da família cristã. Os conteúdos limitam-se a uma novelinha, um filminho, um futebolzinho, uma sériezinha americana, um realit showzinho e, por último, porque não pode faltar, um cultinho com um louvorzinho e uma pregaçãozinha. Percebeu? São rotinas onde tudo é “inho”, pequeno, insignificante, repetitivo e desmotivante.
 
Nesse ritmo alguém explode: “tenho que fazer qualquer coisa para mudar a situação”. Neste ponto começam as cabeçadas, as bolas-fora, as mancadas. É um negócio “milagroso” aqui, daqueles que vão dar “muito dinheiro”, ai, ai, ai. Um novo curso de “novidades-imprescindíveis” acolá, daqueles que garantem abrir muitas portas, iiiiiiii. É a repaginada num shopping e uma viagem terapêutica, sei não! E na sequência, as consequências em forma de frustações e insucessos. E dá-lhe desilusão.
 
A percepção, em alguns casos comprovados pelos desabafos que ouço, é que simplesmente muitos não se sentem amados. Não se sentem merecedores de amor. Sentem-se distantes do amor de Deus e, deste, nem merecedores se sentem. E como sobreviver a tirania destes loucos tempos sem o amor que vem de Deus? Tais sentimentos tem razão de ser? Será que é assim mesmo? Em nossos desertos Deus se afasta de nós?
 
A Bíblia na linguagem de hoje tem um versículo profundo e consolador para tempos e sentimentos assim. É o último versículo de Romanos capítulo 8, ele categoricamente afirma: “Nem o mundo lá em cima, nem o mundo lá de baixo. Em todo o universo não há nada que possa nos separar do amor de Deus, que é nosso por meio de Cristo Jesus, o nosso Senhor”.
 
Ou seja, não existe nada, nenhuma situação, nada de errado que façamos que faça com que Deus nos ame menos. Ou mais. Seu amor é perfeito, pleno e constante. Nossas crises não têm o poder de nos separar do amor dEle. Nós é que nos afastamos. Como um pai, Ele está lá, com amor para nos receber, acolher, instruir, perdoar, corrigir e, enfim, amar. Volte o foco para aquele do qual nunca deveria ter saído, volte para Deus. Renda-se a necessidade inevitável do verdadeiro amor em sua vida. E amor verdadeiro, somente a partir de Deus.
 
Paz!
 
 
- por Edmilson Mendes
e-mail: mendeslongo@uol.com.br
blog: calicedevida.com.br
twitter: @Edmilson_Regina
Conferência Voz dos Apóstolos - Inscreva-se!
Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame