O novo 'tempo' de Salomão - IURD inaugura uma era perigosa

Fonte: guiame.com.brAtualizado: quarta-feira, 30 de julho de 2014 19:05
Templo de Salomão
Templo de Salomão

Templo de SalomãoNão é erro de grafia não, o título está correto. É um novo tempo, não apenas um novo templo. A IURD (Igreja Universal do Reino de Deus) possui hoje 1,8 milhões de adeptos no Brasil submetidos a uma programação psicológica, através de discursos bem elaborados com inúmeros instrumentos e técnicas cenográficas, que produzem total alienação social e espiritual, seguindo as diretrizes do seu “Salomão”; Edir Macedo.

Com uma refinada equipe de advogados e economistas, a IURD foi transformada em uma holding religiosa, um conglomerado que movimenta bilhões em diferentes países e através de inúmeras empresas. Para saber mais, basta ler o livro BISPO S/A, que é um ótimo trabalho elaborado pelo filósofo e teólogo Odêmio Antonio Ferrari. O fato é que Edir Macedo reúne em si as quatro forças mais perigosas do mundo quando usadas de maneira imprópria, à saber;

A força política da Universal do Reino de Deus. Através do PRB que está em plena rota de crescimento para 2014 através da IURD, a igreja instalou no meio político seus bispos e pastores, entre eles 9 deputados federais, um senador que é ministro e concorrerá ao governo do Rio de Janeiro, 54 prefeitos, 30 sub-prefeitos, e 780 vereadores. Todos alçados e conduzidos nas eleições pela IURD e pelo seu eleitorado cativo nos templos da denominação. Mais dados assustadores? Acesse aqui

A força midiática da Universal do Reino de Deus. A IURD hoje destaca-se pelos veículos midiáticos de sua propriedade. No ano de 2002, era proprietária de 62 emissoras de rádio, da terceira maior empresa de televisão brasileira, a Rede Record (que reúne 63 emissoras afiliadas no país), além da Rede Mulher, Rede Família e CNT, todos canais de televisão aberta. A igreja também dispõe do portal Arca Universal, que oferece ao internauta links relacionados a produtos e mídias da IURD, além de seu site institucional da igreja, assim como o portal multimídia R7. Isso tudo, apenas no Brasil. Um intenso estudo sociológico sobre o assunto: Acesse Aqui e Aqui

A força financeira da Universal do Reino de Deus. Já é conhecido de todos que o propósito de cada culto realizado pela IURD, está relacionado com prosperidade financeira. Reuniões como: Concentração de fé e milagres, Fogueira Santa, Congresso Empresarial, entre outros são trabalhos voltados para o crescimento financeiro de seus fiéis, que é prometido pela troca de ofertas “voluntárias” dos mesmos à denominação. O problema é que o dinheiro na IURD, ganha status sacramental. Assim como a igreja católica fazia na idade média com as indulgências, a IURD prega que a Graça de Deus só pode ser alcançada através de sacrifícios financeiros, levando as pessoas a doarem suas finanças em troca de uma benção. A prática nos cultos da Universal não condiz com a idéia bíblica, eles não fazem uma exortação à fé, mas uma “extorsão” da fé! Veja mais dados neste ótimo estudo sobre a Teologia da prosperidade da IURD: Acesse aqui

A força religiosa da Universal do Reino de Deus. A IURD investe pesadamente nas narrativas públicas de seus membros, nos testemunhos públicos, evidenciando o "poder e a força" da igreja, no combate ao "Mal", seja ele concretizado na dor, no sofrimento, no "castigo" ou na perturbação por "espíritos malignos". Os relatos ilustram exemplarmente a transformação da vida dos que optaram pela inserção na IURD. Trata-se de uma busca por uma "igreja com maior poder" - poder que se reflete na elaboração de suas edificações, como as Catedrais da Fé, e agora o grande resumo de poder religioso mundial, o TEMPLO DE SALOMÃO no Brás, em São Paulo. A monumentalidade deste templo reflete a compreensão do poder religioso destilado pela IURD. Edir Macedo deve sofrer de algum distúrbio psíquico como “síndrome salomônica” ou algo parecido. Toda significação simbólica e sincretismo religioso ilustrada por diversos utensílios nas reuniões da IURD, alcança agora o grau máximo na construção desta obra religiosa nababesca. Eles querem
ser os novos “conquistadores da fé” neo-pentecostal. Para saber mais: Acesse aqui

CONCLUSÃO. O grande erro de Salomão não foram suas obras, mas o total desprezo pelos conselhos de Deus. Apesar de sábio e poderoso, morreu idólatra, adorando outros deuses, inclusive Israel nunca mais foi o mesmo depois dele. Quero deixar claro aos comentaristas de plantão e defensores desta “denominação” que isto não se trata de julgamento, não se trata de opinião pessoal, e nem de perseguição religiosa, afinal também sou um pastor, mas também um observador e isso é apenas constatação dos fatos e de boas leituras daqueles que estudam estes fenômenos sociológicos, e mostram mais uma vez como o poder pode corromper até mesmo uma pessoa com boas intenções. Tempos difíceis sobre a igreja de nossos dias e o pior é que o maior mal, vem de dentro, é criado e alimentado pela própria igreja evangélica.


- Pr. Bruno dos Santos

Siga-nos

Comentários

Mais do Guiame