Como tingir roupas em casa?

Como tingir roupas em casa?

Quem já pintou o cabelo sabe que o resultado depende de muitos fatores, sobretudo da cor do seu cabelo original, do tipo de tinta utilizado e do tipo de fio que você tem. Alguns cabelos são praticamente canudinhos de sugar tinta e permanecem com a dita cuja por séculos, outros agem como se o assunto não fosse com eles.

Com roupa é quase a mesma coisa. Quem quer tingir uma peça sem prejudicar a qualidade dela tem que ficar atendo a esses três fatores: tecido, cor e tinta. Assim como no caso dos cabelos, a base ideal para tintas é um fio claro, grosso e com escamas abertas e a cor ideal é bem escura.

Traduzindo para roupas, a peça mais fácil de tingir sempre será aquela que é toda branca, feita apenas de algodão e que você quer pintar de preto.

A gente conversou com alguns professores e alunos da Faculdade Santa Marcelina e reunimos dicas de como tingir tecidos. Vamos ensinar tudo que você precisa saber sobre os tipos de tecido, cores (da tinta e da roupa) e dois métodos caseiros para salvar aquela peça linda que manchou na lavagem!

Tanto a tinta Guarany quanto a Acrilex são vendidas em armarinhos, casas de artesanato e papelarias. Fácil, né?

Vamos começar explicando o que você precisa observar antes de tingir:

Tipo de tecido:

Os tecidos são divididos em três graus de dificuldade em relação ao tingimento:

Fácil: Tecidos de algodão ou 100% naturais são os mais propícios para tingimento.

Difícil: Tecidos de composição mista podem ou não responder bem ao tingimento.

Grandes chances de dar zebra: Tecidos sintéticos têm grandes chances de zicar o processo e da peça se perder, por isso, pense bem antes de tentar.

Cor do tecido:

Brancos: Tecidos brancos ou em tons claros normalmente alcançam a cor do corante. Sabe quando você compra uma tinta de cabelo e olha a cor da embalagem? Pois então, aquela cor só será atingida pelo cabelo muito claro ou descolorido. Se o seu cabelo já tem uma cor forte, terá que pensar na combinação dos dois tons.

Estampados: Nem adianta tentar transformar um tecido estampado em liso através da coloração. Os estampados só são tingindos na área do tecido que não tem estampa, já que a estampa é como se fosse uma impressão feita pro cima das fibras, imune à tinta.

Coloridos: Tecidos coloridos podem ser tingidos, mas a cor desejada deve ser mais escura que a cor original. O resultado será uma soma da cor original com a cor da tinta. Por exemplo, se você tem uma camiseta amarela e resolve pintar de azul, o resultado será um verde.

Cor da tinta: Quanto mais escura uma cor, mais fácil da tinta pegar no tecido e o resultado ficar legal. Sendo assim, a tinta mais universal é a preta.

Agora que você decidiu realmente tingir a peça, observou o material dela e já escolheu a cor, vamos ensinar os dois métodos caseiros mais legais. Antes de usar qualquer um deles, é necessário que o tecido esteja limpo, sem botões, fivelas e acessórios presos.

Métodos de tingimento caseiro:

Método quente: O método quente utiliza tinta Guarany e um panelão onde você vai esquentar bastante a água misturada com o corante e afogar sem dó a peça lá dentro. Os tons da Guarany não trabalham com meio termo. O verde é tipo uma invasão alienígena, o amarelo é tipo uma febre amarela. Se quiser um tom mais claro, pode colocar menos corante, mas o tempo de fervura (recomendado no rótulo do produto) deve ser o mesmo.

Método frio: O método frio utiliza tinta para tecido Acrilex diluída em água. Coloque um pouquinho de água e de tinta em um balde e vá elimiando todos os gominhos de tinta. Coloque mais tinta e mais água até ficar do tom que você quer. Depois, mergulhe o tecido dentro do líquido e deixe por alguns minutos, para que a fibra possa absorver bem a tinta. Passados os minutos, pendure o tecido no varal pelas extremidades e espere secar. Lembre de pendurar pelo avesso, para não marcar nada. A tinta Acrilex também possibilita a mistura de cores, então, pode criar seus próprios tons!

Quem já pintou o cabelo sabe que o resultado depende de muitos fatores, sobretudo da cor do seu cabelo original, do tipo de tinta utilizado e do tipo de fio que você tem. Alguns cabelos são praticamente canudinhos de sugar tinta e permanecem com a dita cuja por séculos, outros agem como se o assunto não fosse com eles.

Com roupa é quase a mesma coisa. Quem quer tingir uma peça sem prejudicar a qualidade dela tem que ficar atendo a esses três fatores: tecido, cor e tinta. Assim como no caso dos cabelos, a base ideal para tintas é um fio claro, grosso e com escamas abertas e a cor ideal é bem escura.

Traduzindo para roupas, a peça mais fácil de tingir sempre será aquela que é toda branca, feita apenas de algodão e que você quer pintar de preto.

A gente conversou com alguns professores e alunos da Faculdade Santa Marcelina e reunimos dicas de como tingir tecidos. Vamos ensinar tudo que você precisa saber sobre os tipos de tecido, cores (da tinta e da roupa) e dois métodos caseiros para salvar aquela peça linda que manchou na lavagem!

Tanto a tinta Guarany quanto a Acrilex são vendidas em armarinhos, casas de artesanato e papelarias. Fácil, né?

Vamos começar explicando o que você precisa observar antes de tingir:

Tipo de tecido:

Os tecidos são divididos em três graus de dificuldade em relação ao tingimento:

Fácil: Tecidos de algodão ou 100% naturais são os mais propícios para tingimento.

Difícil: Tecidos de composição mista podem ou não responder bem ao tingimento.

Grandes chances de dar zebra: Tecidos sintéticos têm grandes chances de zicar o processo e da peça se perder, por isso, pense bem antes de tentar.

Cor do tecido:

Brancos: Tecidos brancos ou em tons claros normalmente alcançam a cor do corante. Sabe quando você compra uma tinta de cabelo e olha a cor da embalagem? Pois então, aquela cor só será atingida pelo cabelo muito claro ou descolorido. Se o seu cabelo já tem uma cor forte, terá que pensar na combinação dos dois tons.

Estampados: Nem adianta tentar transformar um tecido estampado em liso através da coloração. Os estampados só são tingindos na área do tecido que não tem estampa, já que a estampa é como se fosse uma impressão feita pro cima das fibras, imune à tinta.

Coloridos: Tecidos coloridos podem ser tingidos, mas a cor desejada deve ser mais escura que a cor original. O resultado será uma soma da cor original com a cor da tinta. Por exemplo, se você tem uma camiseta amarela e resolve pintar de azul, o resultado será um verde.

Cor da tinta: Quanto mais escura uma cor, mais fácil da tinta pegar no tecido e o resultado ficar legal. Sendo assim, a tinta mais universal é a preta.

Agora que você decidiu realmente tingir a peça, observou o material dela e já escolheu a cor, vamos ensinar os dois métodos caseiros mais legais. Antes de usar qualquer um deles, é necessário que o tecido esteja limpo, sem botões, fivelas e acessórios presos.

Métodos de tingimento caseiro:

Método quente: O método quente utiliza tinta Guarany e um panelão onde você vai esquentar bastante a água misturada com o corante e afogar sem dó a peça lá dentro. Os tons da Guarany não trabalham com meio termo. O verde é tipo uma invasão alienígena, o amarelo é tipo uma febre amarela. Se quiser um tom mais claro, pode colocar menos corante, mas o tempo de fervura (recomendado no rótulo do produto) deve ser o mesmo.

Método frio: O método frio utiliza tinta para tecido Acrilex diluída em água. Coloque um pouquinho de água e de tinta em um balde e vá elimiando todos os gominhos de tinta. Coloque mais tinta e mais água até ficar do tom que você quer. Depois, mergulhe o tecido dentro do líquido e deixe por alguns minutos, para que a fibra possa absorver bem a tinta. Passados os minutos, pendure o tecido no varal pelas extremidades e espere secar. Lembre de pendurar pelo avesso, para não marcar nada. A tinta Acrilex também possibilita a mistura de cores, então, pode criar seus próprios tons!

Quem já pintou o cabelo sabe que o resultado depende de muitos fatores, sobretudo da cor do seu cabelo original, do tipo de tinta utilizado e do tipo de fio que você tem. Alguns cabelos são praticamente canudinhos de sugar tinta e permanecem com a dita cuja por séculos, outros agem como se o assunto não fosse com eles.

Com roupa é quase a mesma coisa. Quem quer tingir uma peça sem prejudicar a qualidade dela tem que ficar atendo a esses três fatores: tecido, cor e tinta. Assim como no caso dos cabelos, a base ideal para tintas é um fio claro, grosso e com escamas abertas e a cor ideal é bem escura.

Traduzindo para roupas, a peça mais fácil de tingir sempre será aquela que é toda branca, feita apenas de algodão e que você quer pintar de preto.

A gente conversou com alguns professores e alunos da Faculdade Santa Marcelina e reunimos dicas de como tingir tecidos. Vamos ensinar tudo que você precisa saber sobre os tipos de tecido, cores (da tinta e da roupa) e dois métodos caseiros para salvar aquela peça linda que manchou na lavagem!

Tanto a tinta Guarany quanto a Acrilex são vendidas em armarinhos, casas de artesanato e papelarias. Fácil, né?

Vamos começar explicando o que você precisa observar antes de tingir:

Tipo de tecido:

Os tecidos são divididos em três graus de dificuldade em relação ao tingimento:

Fácil: Tecidos de algodão ou 100% naturais são os mais propícios para tingimento.

Difícil: Tecidos de composição mista podem ou não responder bem ao tingimento.

Grandes chances de dar zebra: Tecidos sintéticos têm grandes chances de zicar o processo e da peça se perder, por isso, pense bem antes de tentar.

Cor do tecido:

Brancos: Tecidos brancos ou em tons claros normalmente alcançam a cor do corante. Sabe quando você compra uma tinta de cabelo e olha a cor da embalagem? Pois então, aquela cor só será atingida pelo cabelo muito claro ou descolorido. Se o seu cabelo já tem uma cor forte, terá que pensar na combinação dos dois tons.

Estampados: Nem adianta tentar transformar um tecido estampado em liso através da coloração. Os estampados só são tingindos na área do tecido que não tem estampa, já que a estampa é como se fosse uma impressão feita pro cima das fibras, imune à tinta.

Coloridos: Tecidos coloridos podem ser tingidos, mas a cor desejada deve ser mais escura que a cor original. O resultado será uma soma da cor original com a cor da tinta. Por exemplo, se você tem uma camiseta amarela e resolve pintar de azul, o resultado será um verde.

Cor da tinta: Quanto mais escura uma cor, mais fácil da tinta pegar no tecido e o resultado ficar legal. Sendo assim, a tinta mais universal é a preta.

Agora que você decidiu realmente tingir a peça, observou o material dela e já escolheu a cor, vamos ensinar os dois métodos caseiros mais legais. Antes de usar qualquer um deles, é necessário que o tecido esteja limpo, sem botões, fivelas e acessórios presos.

Métodos de tingimento caseiro:

Método quente: O método quente utiliza tinta Guarany e um panelão onde você vai esquentar bastante a água misturada com o corante e afogar sem dó a peça lá dentro. Os tons da Guarany não trabalham com meio termo. O verde é tipo uma invasão alienígena, o amarelo é tipo uma febre amarela. Se quiser um tom mais claro, pode colocar menos corante, mas o tempo de fervura (recomendado no rótulo do produto) deve ser o mesmo.

Método frio: O método frio utiliza tinta para tecido Acrilex diluída em água. Coloque um pouquinho de água e de tinta em um balde e vá elimiando todos os gominhos de tinta. Coloque mais tinta e mais água até ficar do tom que você quer. Depois, mergulhe o tecido dentro do líquido e deixe por alguns minutos, para que a fibra possa absorver bem a tinta. Passados os minutos, pendure o tecido no varal pelas extremidades e espere secar. Lembre de pendurar pelo avesso, para não marcar nada. A tinta Acrilex também possibilita a mistura de cores, então, pode criar seus próprios tons!

Quem já pintou o cabelo sabe que o resultado depende de muitos fatores, sobretudo da cor do seu cabelo original, do tipo de tinta utilizado e do tipo de fio que você tem. Alguns cabelos são praticamente canudinhos de sugar tinta e permanecem com a dita cuja por séculos, outros agem como se o assunto não fosse com eles.

Com roupa é quase a mesma coisa. Quem quer tingir uma peça sem prejudicar a qualidade dela tem que ficar atendo a esses três fatores: tecido, cor e tinta. Assim como no caso dos cabelos, a base ideal para tintas é um fio claro, grosso e com escamas abertas e a cor ideal é bem escura.

Traduzindo para roupas, a peça mais fácil de tingir sempre será aquela que é toda branca, feita apenas de algodão e que você quer pintar de preto.

A gente conversou com alguns professores e alunos da Faculdade Santa Marcelina e reunimos dicas de como tingir tecidos. Vamos ensinar tudo que você precisa saber sobre os tipos de tecido, cores (da tinta e da roupa) e dois métodos caseiros para salvar aquela peça linda que manchou na lavagem!

Tanto a tinta Guarany quanto a Acrilex são vendidas em armarinhos, casas de artesanato e papelarias. Fácil, né?

Vamos começar explicando o que você precisa observar antes de tingir:

Tipo de tecido:

Os tecidos são divididos em três graus de dificuldade em relação ao tingimento:

Fácil: Tecidos de algodão ou 100% naturais são os mais propícios para tingimento.

Difícil: Tecidos de composição mista podem ou não responder bem ao tingimento.

Grandes chances de dar zebra: Tecidos sintéticos têm grandes chances de zicar o processo e da peça se perder, por isso, pense bem antes de tentar.

Cor do tecido:

Brancos: Tecidos brancos ou em tons claros normalmente alcançam a cor do corante. Sabe quando você compra uma tinta de cabelo e olha a cor da embalagem? Pois então, aquela cor só será atingida pelo cabelo muito claro ou descolorido. Se o seu cabelo já tem uma cor forte, terá que pensar na combinação dos dois tons.

Estampados: Nem adianta tentar transformar um tecido estampado em liso através da coloração. Os estampados só são tingindos na área do tecido que não tem estampa, já que a estampa é como se fosse uma impressão feita pro cima das fibras, imune à tinta.

Coloridos: Tecidos coloridos podem ser tingidos, mas a cor desejada deve ser mais escura que a cor original. O resultado será uma soma da cor original com a cor da tinta. Por exemplo, se você tem uma camiseta amarela e resolve pintar de azul, o resultado será um verde.

Cor da tinta: Quanto mais escura uma cor, mais fácil da tinta pegar no tecido e o resultado ficar legal. Sendo assim, a tinta mais universal é a preta.

Agora que você decidiu realmente tingir a peça, observou o material dela e já escolheu a cor, vamos ensinar os dois métodos caseiros mais legais. Antes de usar qualquer um deles, é necessário que o tecido esteja limpo, sem botões, fivelas e acessórios presos.

Métodos de tingimento caseiro:

Método quente: O método quente utiliza tinta Guarany e um panelão onde você vai esquentar bastante a água misturada com o corante e afogar sem dó a peça lá dentro. Os tons da Guarany não trabalham com meio termo. O verde é tipo uma invasão alienígena, o amarelo é tipo uma febre amarela. Se quiser um tom mais claro, pode colocar menos corante, mas o tempo de fervura (recomendado no rótulo do produto) deve ser o mesmo.

Método frio: O método frio utiliza tinta para tecido Acrilex diluída em água. Coloque um pouquinho de água e de tinta em um balde e vá elimiando todos os gominhos de tinta. Coloque mais tinta e mais água até ficar do tom que você quer. Depois, mergulhe o tecido dentro do líquido e deixe por alguns minutos, para que a fibra possa absorver bem a tinta. Passados os minutos, pendure o tecido no varal pelas extremidades e espere secar. Lembre de pendurar pelo avesso, para não marcar nada. A tinta Acrilex também possibilita a mistura de cores, então, pode criar seus próprios tons!

'