Enéas Tognini é empossado na Academia de Letras

Enéas Tognini é empossado na Academia de Letras

Por Myrian Rosário

Aos 94 anos de vida, com 67 dedicados ao ministério e mais de 40 livros publicados, o Pr. Enéas Tognini, presidente da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), pastor emérito e fundador da Igreja Batista do Povo (IBP), continua acrescentando títulos e conquistas à sua biografia. Em cerimônia emocionante realizada ontem, dia 18 de setembro, na sede da IBP, Tognini foi empossado como o mais novo membro da Academia Paulista Evangélica de Letras (APEL), tornando-se, assim, o acadêmico mais idoso."Esse é o resgate de uma dívida que a APEL tinha com esse homem extraordinário que é Enéas Tognini", declarou o Pr. Paulo Cintra Damião, um dos membros-fundadores da Academia, que tem 55 anos de ministério e disse ter utilizado no seminário o livro "O Período Interbíblico", de autoria de Tognini. "Ele deveria estar conosco há mais tempo, mas é um homem muito ocupado e sempre dizia: 'Eu aos sábados não poderei estar nas reuniões da academia'", lembrou.

Acadêmicos, pastores, familiares de Enéas Tognini, professores e alunos do Seminário Teológico Batista Nacional, que leva o nome do homenageado da noite, e membros da IBP estiveram presentes à cerimônia, que foi dirigida pelo evangelista Fausto Rocha, presidente da APEL. A ministração de louvor ficou a cargo da cantora Eloíza Vilaça e o Coral Doxa também se apresentou.

"Toda glória a Jesus"

Muito emocionado, o Pr. Enéas Tognini, que já é membro da Academia de Letras do Brasil, desde 2004, ouviu o relato de suas principais realizações ao lado de sua esposa, Elia Tognini. "Fique com esse papel. Acho que o senhor vai querer conhecer mais sobre a biografia desse homem", brincou o Pr. Walter Brunelli, ao encerrar a leitura.  Depois de declarar o compromisso como acadêmico, Tognini ministrou uma aula magna. "Deram o nome de aula magna, mas o que vou ministrar é uma resenha para mostrar a autoridade do nosso Senhor Jesus Cristo", disse.

A pregação foi baseada no texto de Romanos 11:33-36, que ressalta a soberania de Deus ("Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém"). "Receber essa homenagem é uma honra para nós e glória para o Senhor. Toda glória seja a ele. Nós não somos nada", observou Enéas no início da ministração. Mais tarde, ele indagou: "Por que estão me prestando essa homenagem? Porque sou servo de Jesus. Se não, ninguém se lembraria de mim. Possivelmente, eu já estaria até morto. Coloco aos pés do Senhor qualquer regalia, qualquer valor que tivermos. Queremos ficar como Maria de Betânia, prostrados aos pés do Senhor".

Após a pregação, Enéas Tognini, ao lado de duas das suas filhas, recebeu a medalha, o diploma e a sobrepelis (tipo de capa usada pelos acadêmicos), que lhe foi colocada pela esposa. A cerimônia foi encerrada pelo Coral Doxa, que apresentou Aleluia de Rendel. "É uma emoção que ninguém pode explicar. Entrego tudo ao Supremo Pastor, que é Jesus. Estamos alegres porque a glória foi dada toda a Jesus Cristo. Na realidade, foi um ato comovente porque a gente sabe que não merece, mas a bondade dos irmãos resultou nesse evento e damos graças a Deus", analisou Enéas.

Exemplo de humildade

Abaixo, algumas declarações dos líderes presentes sobre o Pr. Enéas Tognini:

Pr. Maurício Abreu, diretor do Seminário Teológico Batista Nacional Enéas Tognini: "É uma justa homenagem a quem sempre serviu ao Senhor com ética e fidelidade". Elia Tognini, esposa: "A honra que vem a ele é exatamente porque ele serve a Deus de todo o seu coração, com toda dedicação e fidelidade que é possível. Se fosse outro tipo de pessoa, orgulhosa, petulante, com certeza, as honras não viriam". Fausto Rocha, presidente da APEL: "Meu pai, que foi superintendente da Escola Bíblica Dominical da Primeira Igreja Batista de São Paulo, dizia que o pastor mais admirado era Enéas Tognini porque ele deixou a diretoria do Colégio Batista Brasileiro, a direção da Faculdade Teológica Batista, o cargo de pastor da Igreja Batista de Perdizes, a casa pastoral e o salário correpondente e saiu por muitos anos para evangelizar o Brasil na total dependência de Deus. Ele iniciou o movimento de avivamento que culminou na criação da denominação Igreja Batista Nacional, que hoje tem um número maior de igrejas e de membros do que a Igreja Batista tradicional. Enéas Tognini é autor de livros, intelectual, tem 94 anos, presidente da SBB.. é uma honra para a academia recebê-lo como membro. É um reconhecimento ao valor dele como estimulador de novas vocações pastorais e de liderança para a expansão do reino de Deus no Brasil". Pr. Eliezer Batista Marra, acadêmico: "Enéas Tognini é um pastor de pastores, no sentido humanista e espiritual. Ele é uma bênção na vida de muita gente". Pr. Osmar Bento, IBP: "Honrando o pastor Enéas estamos glorificando a Deus. Com ele estamos aprendendo como vive um homem de Deus, não só como vive um líder espiritual, mas como vive um homem de ética, de moral e de respeito". Pr. Ivêner Soler, IBP: Além de ser um privilégio poder aprender com ele, hoje tivemos uma lição de vida. Com a idade, a experiência e o conhecimento que ele tem, ouvi-lo falar, numa noite como essa em que ele está sendo honrado, sobre a autoridade, o poder e o senhorio de Jesus, mostrando não se importar com posição ou títulos, é uma lição. Eu me espelho muito nessa humildade dele. Gostaria de viver nesse mesmo patamar. Ele é um norte para os pastores da nova geração". Pr. Luciano Avelino, IBP: "O que mais me chama a atenção em tudo o que aconteceu hoje aqui, de tudo o que ouvimos, é a humildade dele. Com toda bagagem que ele tem, o que ficou claro é que quanto mais perto de Jesus a gente chega, mais vale a palavra de João Batista: 'Importa que Ele cresça e eu diminua"".  

'