O Yoga pode ser praticado por evangélicos?

O Yoga pode ser praticado por evangélicos?

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 9 Fevereiro de 2009 as 12

O Yoga significa união, integra o corpo e a alma, que é composta pela mente, emoções e sentimentos. Com o objetivo de trazer equilíbrio emocional, é uma antiga filosofia de vida com origem na Índia, há mais de cinco mil anos. Só que além das atividades tradicionais, extremamente benéficas à saúde física e emocional, existe uma doutrina por trás, que muitas vezes não está de acordo com os ensinamentos bíblicos. Por este motivo, grande parte das igrejas evangélicas se posiciona radicalmente contra a prática do Yoga, mas por que a população em geral pode desfrutar destes benefícios e o cristão não?

Foi isso o que pensou a professora de Yoga Aurea Camargo, que há 18 anos pratica o método milenar e teve este questionamento há cerca de dez anos, quando se converteu e não era bem recepcionada nas igrejas. Até que em São Paulo, encontrou um ministério que compreendeu que as técnicas poderiam ser utilizadas como mais um instrumento tanto para evangelização quanto para o cristão desenvolver o seu domínio próprio, cuidar da saúde do seu corpo, que é o templo do Espírito Santo de Deus, e ter nas meditações um tempo de buscar a Jesus e se santificar, substituindo a filosofia indiana pela Palavra de Deus. Em entrevista ao Guia-me , Aurea conta como foi este processo de implantar um Yoga Gospel e as curiosidades da prática.

Guia-me: Quando você se converteu, quais foram as orientações que o seu líder te deu a respeito do Yoga?

Aurea Camargo: Quando eu comecei a me converter, eu não tinha um pastor, eu não era de uma igreja. Até porque eu comecei a enfrentar muito preconceito por ser professora. Eu tenho 18 anos de Yoga e estou com mais ou menos dez anos de convertida. Eu pratiquei Yoga dois anos e no terceiro já dava aulas, porque eu vim da ginástica olímpica, eu era muito boa e já comecei a dar aula. E daí quando eu iniciei o meu processo de conversão, diz que igreja que me aceitava?

Guia-me: E o que aconteceu nesta época?

Aurea Camargo: Falavam para eu largar o meu trabalho e eu não aceitava isso. Neste momento em que eu comecei entender a conversão, eu estava em outra cidade [fora de São Paulo, onde mora atualmente], do interior, em Minas Gerais, e lá não tinha nenhum tipo de igreja avivada, mais aberta [...] as igrejas eram muito preconceituosas.  Não me davam opção, diziam: "é do diabo e pronto". E não adiantava eu tentar argumentar com eles. Daí, eu fiquei um período sem igreja, programa de televisão nesta época foi uma bênção na minha vida. Às vezes, eu até ia em uma ou outra igreja, mas eu não tinha um pastor. Porque eu não aceitava, eu não via o evangelho desta forma de restrição.

Guia-me: Quando você teve abertura para falar do Yoga na igreja?

Aurea Camargo: Eu só consegui que me escutassem quando eu saí do interior e voltei para São Paulo. Pensei: não é possível esta coisa tem que ser quebrada! Aí, eu entrei para um ministério e comecei com um processo na igreja. Dentro do conhecimento cristão que eu já tinha adquirido, sabia que o Yoga estava de baixo de uma autoridade maligna, metade dele é filosófico e metade é prático. Então, quando você se refere à prática, ela não tem contaminação nenhuma, porque é uma atividade...

Guia-me: Seriam técnicas?

Aurea Camargo: São técnicas, exatamente. O Yoga é totalmente técnico, fisiológico, já foi completamente desmistificado, nem pelo cristianismo, mas pelas próprias universidades científicas, de terapia [...]. A técnica faz massageamentos internos, é toda uma questão fisiológica.

Querendo ou não esta prática está vinculada a uma doutrina, quando não há uma divindade por trás, há uma filosofia humana, ateísta, de não acreditar num Deus, do ser humano ser o seu próprio "deus"; ou ligada a uma forma de ver Jesus Cristo com mais religiosidade e dentro de um contexto onde tudo é liberado como "todos os caminhos levam a Deus pai".  

Não havia nada verdadeiramente cristão [que apresentasse Jesus Cristo como único caminho] e quando eu comecei com o projeto dentro do ministério, eu queria que uma igreja cobrisse o trabalho e resgatasse o Yoga. Que o corpo de Cristo, a partir daquele momento, declarasse que o Yoga estava de baixo de cobertura. Levou quase dois anos para ser aprovado, tinham pessoas que adoraram e outras que tinham muito preconceito. Foi liberado, não só como um projeto, mas espiritualmente. Meu objetivo era esclarecer, resgatar, mostrar que a igreja tem que estar aberta para receber, senão como é que você converte se não tem argumentos nem para explicar, não tem noção? Naquele momento, queria resgatar, quebrar com todo preconceito religioso, provar que era uma técnica e que era só desvincular da filosofia e colocar em cima todos os ensinamentos cristãos.

Guia-me: Você utiliza o cumprimento Namastê no Yoga Gospel?

Aurea Camargo: Não, o Namastê [junção das duas mãos e uma leve inclinação da parte superior do corpo] é um cumprimento sânscrito que significa o "deus" que está em mim saúda o "deus" que está em você. Mesmo assim, tem outras vertentes que não utilizam este cumprimento dentro do Yoga, até porque ele não faz parte do Yoga, é um cumprimento indiano.  

Guia-me: E a meditação, onde se pede que o aluno pense na natureza, no mar?

Aurea Camargo: Não, eu uso um outro tipo, a meditação na palavra [Bíblia]. Trabalhar com mente é muito complicado, a mente é a sua alma, tudo que acontece na sua alma está dentro da sua mente. Quando você descansa a mente, o seu inconsciente se abre, então, depende da autoridade espiritual que está por trás do professor, pode entrar algo que não é bom.

Guia-me: Como é aplicada esta meditação na palavra?

Aurea Camargo: Tem várias formas. Você vai meditar em Jesus, na palavra, vai relaxar em Jesus, a aula inteira será consagrada ao Senhor. Espiritualmente já muda tudo. A consciência da aula é a mesma de outras de Yoga, no sentido de respeito e amor ao corpo. A essência é diferente, porque você está consagrando seu corpo a Jesus, se esvaziando para que Ele possa te encher. Ter respeito ao corpo para que alma tenha mais contato com o Espírito de Deus, que habita em você, aprender que o Espírito [Santo] tem que prevalecer sobre a sua alma.

Todo mundo que busca o Yoga quer relaxar e buscar um equilíbrio emocional, só que a gente sabe que equilíbrio vamos encontrar só no Senhor [Jesus]. Então, o Yoga pode servir como um instrumento a mais de você alcançar. O evangelho vai ser o mesmo, só que de uma forma diferente, para ver se você recebe melhor.

Guia-me: E quais são os resultados para as pessoas que praticam?

Aurea Camargo: O Yoga é muito completo, tem muitas linhas, trabalhei com todas, tanto da física quanto da terapêutica. Traz vários benefícios: concentração; eliminação de estresse, ansiedade, síndrome do pânico, depressão; massageamento nas glândulas pela respiração; no físico, tônus muscular, flexibilidade; ativação do sistema imunológico, aumenta as defesas do seu corpo; resolve problemas de desvio de coluna; emagrece; tem vários benefícios...

Guia-me: O Yoga deve ser praticado quantas vezes por semana?

Aurea Camargo: Se você fizer uma hora e meia, duas vezes por semana, em dois meses vai ter um resultado bárbaro. Depende do que está procurando, por terapia ou por atividade física.

Guia-me: Tem alguma restrição quanto à idade?

Aurea Camargo: Não, não tem nenhum tipo restrição. Tem desde Yoga para crianças quanto para idosos; "Yogaterapia" hormonal, para as mulheres. O que acontece é que a aula vai ser adequada aquele tipo de aluno, dentro do objetivo da pessoa. Se é uma faixa etária jovem, dá para fazer uma aula mais dinâmica, mais física. Como o Yoga é muito extenso, no sentido de terapia e da forma de ser ministrado o prático, principalmente nas aulas individuais, você pode fazer uma triagem exatamente do que o aluno está querendo, em dois meses ele não vai acreditar no que aconteceu...

Guia-me: Se a pessoa fizer duas vezes por semana, qual é a média de custo?

Aurea Camargo: Depende, nas boas escolas você não pratica duas vezes por semana por menos de R$ 250,00 por mês, pode chegar a R$ 400,00. Tem também aulas com bons professores de Yoga nas grandes academias.

Eu não aconselho um cristão fazer aula de Yoga dentro de uma escola. Quem quer fazer Yoga e evitar o máximo de contaminação, faça dentro de uma academia e mesmo assim você corre o risco. É bom pesquisar o professor...

Guia-me: Tem uma formação específica para ser professor de Yoga?

Aurea Camargo: Hoje, no Brasil temos escolas maravilhosas, onde se leva de dois a três anos para se formar, mas tem que ser praticante a um bom tempo e saber do que se trata. Na USP e na FMU tem pós-graduação em Yoga, pela faculdade de Educação Física.  

Guia-me: Pode comer antes de praticar Yoga?

Aurea Camargo: Não, até porque é um exercício terapêutico com intuito fisiológico. É bom estar, no mínimo, duas horas sem comer.

Guia-me: Tem alguma roupa específica para a prática?

Aurea Camargo: Camiseta, roupas leves...

Guia-me: E material?

Aurea Camargo: Só a esteirinha. Os demais, depende da técnica que será utilizada. Tem muito material, faixas, tijolinhos, mas nem sempre é necessário.  

Contatos Aurea Camargo: (11) 5543-9794

                                          (11) 8366-1598    

Fotos: Arquivo pessoal e Getúlio Camargo 

 

Por Claudia Moraes

veja também