Desperta Débora: "Pais de joelhos, filhos de pé!"

Desperta Débora: "Pais de joelhos, filhos de pé!"

"Não tenho maior alegria do que esta, a de ouvir que meus filhos andam na verdade" (3Jo 1:4)

"Ninguém ora pelos filhos como as mães oram". A afirmação faz parte do propósito do projeto Desperta Débora, que tem como meta orientar as mães no seu papel de intercessoras de seus filhos.

De acordo com o reverendo Marcelo Gualberto, pastor de jovens e um dos diretores do projeto Desperta Débora, os pais, para entenderem o momento atual evangélico, precisam estar atentos para a história da Igreja no Brasil. "A Igreja era conservadora e mantinha o 'freio de mão puchado'. Não se podia nem tocar violão. As reuniões eram centradas em doutrinas e estudo bíblico", afirma Gualberto ao recordar como era o mundo na década de 1960 e o posicionamento tradicional da congregações evangélicas em oposição a renovação cristã que invadiu as denominações no início da década seguinte. "Hoje estamos vivendo oposto de uma Igreja fechada. Hoje liberou geral. Temos que buscar o equilíbrio", salienta o pastor.

Com o intuito de orientar os pais para ajudar a encurtar o caminho entre o jovem e a Igreja, Gualberto destaca o texto bíblico encontrado no capítulo 10 do evangelho de Lucas, versículo 2. "Temos que rogar ao Senhor que envie trabalhadores", diz Gualberto que se preocupa com o que demonstram as estatísticas: 85% das decisões por Cristo ocorrem entre os 13 e 25 anos e 90% dos obreiros em tempo integral trabalham com pessoas acima de 25. "O jovem seminarista é preparado para trabalhar com o adulto. O discurso é para o adulto", explica o pastor que, com veêmencia, alerta os pais sobre a resolução de métodos de pregar a Palavra da Cruz.  "Me poupe querer alcançar o jovem do séculos 21 com a tecnologia da década de 1960".

Um bom relacionamento entre pais e filhos faz parte dos objetivos do Desperta Débora: "90% dos problemas entre você e o seu filho está entre o que é negociável". Como exemplo daquilo que pode ser negociável, Gualberto relembra quando reprimiu, injustamente, a filha por manifestar o desejo de ir a Igreja com uma determinada calça que não era a ideal na cabeça do pai. Ainda assim, a palavra final cabe à autoridade da casa. "Filho tem que entender que o pai é que negocia o negociável e não negocia o inegociável".

Intercessoras do lar

O projeto Desperta Débora nasceu no coração de Deus e tocou o Rev. Jeremias Pereira, por ocasião do GCOWE 95 (Consulta Global sobre Evangelização Mundial), realizado em maio de 1995 em Seul, Coréia. Naquele encontro de maio, a igreja Coreana consagrou os primeiros 100 mil jovens da igreja coreana de diversas denominações para a obra missionária.

Isto despertou o sonho do Rev. Jeremias em ver algo semelhante no Brasil. Ainda em Seul, ele o Rev. Marcelo Gualberto conversaram e oraram por este assunto. De volta ao Brasil, após várias reuniões entre os dois e Ana Maria Pereira, lançaram esse movimento de oração para as mães.

O nome "Desperta Débora" veio da leitura de Juízes 5; 12, quando Débora, uma mãe se levantou para defender Israel, sua nação. Ela disse para si mesma: "Desperta Débora, desperta, acorda!"

Para conhecer melhor o projeto, clique aqui e acesse o site.

'